Pesquisar este blog

terça-feira, 31 de julho de 2018

Cara de Paisagem

Estou cansado das luzes da cidade,
Quero as luzes dos céus estrelados
Em noites de lua cheia e céu azul
Escondido dentro da escuridão da noite.

Quando estou em silêncio
Alguém  puxa assunto...
Em quase todos os momentos
Acho a fala  tão desnecessária
Quando o escutar coisas sem importâncias.

Foi difícil,
Mas por fim aprendi
A escutar sem dar respostas
Deixo que o tempo se dê a esse trabalho
Chato e pesado...

Foi preciso muito anos,
Porém aprendi a ficar em silêncio
E fazer cara de paisagem para o mundo.

Não tenho mais resposta para tudo,
Não quero mais explicar nada,
Caso eu tenha algo para dizer,
Faço um balanço para ver se vale a pena abrir a boca...
Quase sempre não compensa nem pensar,
Quem dirá abrir a boca.

Falta razões para abrir a boca e dar resposta,
Fora isso,
Nesse tempo em que todo mundo fala e protesta o tempo inteiro,
Falar  se tornou desnecessário.

O discurso perdeu o charme...
Calar-se, ouvir e não dar respostas;
O  silêncio se tornou mais charmoso...

Estou farto dessa poluição no céu e nos discursos...
Quem lê esses versos pode pensar
Que sou um frustrado na vida!
Sim! dê certo modo sim!
Porém meu descaso em abrir a boca e dar respostas
É porque compreendo que as palavras
Não possuem à consistência do que é real.

A verdade é que eu também já cansei de espernear
Igual menino birrento...

J.Nunes 



Nenhum comentário:

Literatura Imparcialista

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA