O Imparcialismo: O Ciclo de Saturno

O Imparcialismo que começou a ser escrito em 2006
E  revelado em 2008. Foi à leitura do fim de um período,
Iniciado pós-guerras, tempos regidos por Marte o Deus da guerra.
Depois desse tempo, e já no decorrer desse tempo, a liberdade e o individualismo caminharam para exacerbação de todos os parâmetros e limites.
 A poesia e os conceitos do imparcialismo estão situados no fim de um ciclo marcado pelo que é supérfluo,  superficial, individualista, pelos valores falsos e invertidos, o egoísmo, a liberdade, e a libertinagem tomando o lugar da solidez, a falta de parâmetros, o desmanche de todos os valores e tradições em nome da liberdade e do individualismo exacerbado.
A Poesia Imparcialista resultou da necessidade de compreender um período que extrapolou a noção de liberdade, soberba e individualismo.
A Poesia Imparcialista, no dia 20 de Março de 2017, deixou, definitivamente, esse período de 10 anos de leitura do contexto, para entrar na sua verdade  mais intima: a espiritualidade, os valores tradicionais, a busca pela unidade e suas bases e parâmetros.  A poesia Imparcialista ganha a seriedade de Saturno e de pai religioso amoroso e austero.

J.Nunes


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pé de frango contém colágeno

As características da sociedade contemporânea na Era da Informação

POEMA PARA O DIA DAS MÃES DE MARIDO PARA ESPOSA