MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

Pesquisar este blog

Evaporar

Veio a noite
E com ela o medo de dissipar-se
Dentro dela, no fato de não existir,
No medo de não ser isso ou aquilo.

Para não evaporar no espaço e no tempo
Me prendo em um vício ou um pecado,
Me agarro a um pensamento e a lembrança
De uma vitória ou de um fracasso,
E assim existir de algum modo.

Acordei querendo achar um sentido,
Uma unidade, um ser a quem devo servir.

Nesse mar de ilusões não me contento
Em me agarrar a qualquer coisa,
Que de todo modo, não passa de coisa efêmera,
Seja vitória ou derrota.

Me agarro a você,
A um prazer, a um vício...
Que me prende a vida,
De outro modo eu me dissorveria na noite,
De outro modo eu fico a um passo do outro mundo.
A vida me colocou na fronteira entre existir e dissipar-se.

Ainda não me despreguei da vida,
Ainda não me prendi a ela,
Tenho resistência a tudo, que igual a mim,
É efêmero e se dissorve no tempo e no espaço.
É preciso ter a quem servir
Para não evaporar no corpo e na alma.

J.nunez  13 - 07- 16

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea