De um quarto de hotel

No quarto ao lado

Silêncio!
O Presidente informal do Brasil
 Está no quarto ao lado negociando cargos...

Foi no quarto de hotel
Que outro hóspede nada ilustre,
Deixou marcas de um crime.

Disse em seu depoimento na delação premiada;
A noite foi longa e muito louca:
Bebedeira, fumaça, sexo, garotos, garotas e muito pó;
Perdemos o controle, tivemos alucinações
E ficamos permissivos.

Estávamos pagando pela orgia
E negociamos o inegociável...
Ele não suportou a humilhação,
E na madrugada daquela noite se matou,
No banheiro do quarto do hotel.
Ela morreu de overdose de pó.
Foi lhe perguntado quem pagava pelas orgias,
Ele respondeu que era dinheiro público.

J.Nunez  


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pé de frango contém colágeno

As características da sociedade contemporânea na Era da Informação

POEMA PARA O DIA DAS MÃES DE MARIDO PARA ESPOSA