Postagens

Mostrando postagens de Agosto 30, 2015

Para superar a crise.

Brasileiro
Por enquanto e no bom sentido Podemos usar o jeitinho brasileiro Para superar a crise.
O jeitinho brasileiro É a adaptação à situação, No entanto, não descarto Uma possível revolução...
Que destrua o nosso descuido Com a nossa pátria E a nossa condição de ser, Brasileiro.  

J.Nunez

Embriaguez de ser moderno

Noites moderníssimas!...
Quando passar essa embriaguez de ser moderno, direi: _Eu estava bêbado!... E justificarei toda à insanidade e liberdade Que me dei, dentro dessas noites moderníssimas!... Então esquecerei tudo como um bom cristão convertido.
Sou um poeta imparcialista comigo mesmo, E essa é toda a minha dignidade.
Abílio Santana
J.Nunez

O novo contexto histórico

Na fronteira de um novo tempo
A fachada também está em ruínas. O mundo não aquenta mais sustentar A ostentação, a omissão e a fachada capitalista...
As consequências do que é ser moderno Esta na fronteira de um novo tempo, Esta rasgando as cortinas, Demolindo a fachada Para surgir um novo tempo... Um novo pensamento.
J.Nunez

Migrações: O mundo é um só....

Fronteiras subjetivas
Rompemos com os parâmetros e os limites morais. Com o mundo virtual, rompemos com a distância e o tempo, Com a globalização construímos a cultura do consumo,   Com as migrações estamos rompendo com os limites De fronteiras entre países,  Que sempre foi uma ideia, um acordo...
O mundo é um só. O mundo globalizado é um grande quintal, Agora ninguém quer ficar do lado ruim Do mesmo espaço sem fronteira, Ou com fronteiras subjetivas.

J.Nunez

Brasil: nossa terra de ninguém.

Nossa terra de ninguém
O Brasil era colônia de exploração de Portugal, Agora independente, O Brasil passou a ser colônia De exploração de políticos corruptos... Tudo consequência de nossa negligência Com nossa terra de ninguém.

J.Nunez

Simplificar

1)Simplificar
Vamos acender a lamparina, Vamos voltar ao fogão à lenha, Vamos arrear o cavalo, Vamos voltar para a alma...
Vamos votar ao arcadismo de alma barroca. A modernidade, na prática,  Está se esgotando...
J.Nunez

Ídolos e heróis capitalistas

Ídolos e heróis capitalistas

A Sociedade do Prazer tem seus entorpecimentos na diversão, No vício, no desejo e no supérfluo... Para alimentar essa embriaguez a Sociedade do Prazer Está disposta a sustentá-los sem jamais ousar questioná-los Até mesmo porque as mídias bombardeiam nossos cinco sentidos Com a imagem e idolatria a esses ídolos que sustentamos, E os mercados por de trás deles.
A alienação social da sociedade do entretenimento  Justifica os salários de seus ídolos dos esportes Com o conceito de talento. 
Quando, na verdade, os salários dos ídolos dos esportes   São pagos por pessoas de todas as classes sociais  Que estão dispostas, inconscientemente,  A bancar essa realidade capitalista INQUESTIONÁVEL, Com a idolatria que sustenta esse sistema Que necessita de pessoas embriagadas de entretenimentos.

J.Nunez