“Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” Seria semelhante dizer que um boi não nasce boi: torna-se boi.



Ninguém nasce mulher: torna-se mulher. Nenhum destino biológico, psíquico, econômico define a forma que a fêmea humana assume no seio da sociedade; é o conjunto da civilização que elabora esse produto intermediário entre o macho e o castrado que qualificam o feminino. BEAUVOIR, S. O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

RELATIVISMO

“Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.”
O problema é que quando a mulher quer ser mulher, mesmo!
Vão dizer que essa mulher, mesmo!
É uma submissa, uma escrava da ditadura feita pelo homem.

Nos bastidores desse conceito existe o ódio da condição biológica,
Dos princípios femininos e dos méritos de ser mulher portadora da vida e da luz.

O relativismo e o nivelamento absoluto tenta explicar tudo
A partir do desprezo das dimensões espirituais do homem.

“Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.”
Seria semelhante dizer que um boi não nasce boi: torna-se boi.

J.Nunez






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pé de frango contém colágeno

As características da sociedade contemporânea na Era da Informação

POEMA PARA O DIA DAS MÃES DE MARIDO PARA ESPOSA