Lei da impermanência das coisas

Impermanências

Sem mistérios tenho essa força
E essa lentidão de touro ou urso...
Não há mistério, sou o que se vê,
Sou o reflexo do que sou...

Estou aprendendo a viver na terra,
Ter os pés nesse mundo,
Um propósito e nele ser produtivo
Mesmo com essa consciente
De impermanência das coisas.

Como diz Saulo Menezes:
“Na lei da impermanência as coisas
Se eternizam por seus frutos.”

Como diz Murilo Santiago:
“O outro é o espelho para o meu reflexo,
Me vejo no outro e em mim mesmo.”

Tenho esse touro na alma
Esse sagitário na vida e na alma,
Essa alegria na vida,
Esse desejo de solidão.

Compreendi que tenho o caminho mais difícil:
Construir na solidão, no silêncio e na vida,
Com essa gente amiga e companheira.  

Saturnino Queiros

J.Nunez 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pé de frango contém colágeno

As características da sociedade contemporânea na Era da Informação

POEMA PARA O DIA DAS MÃES DE MARIDO PARA ESPOSA