Postagens

Mostrando postagens de Novembro 2, 2014

Símbolo Imparcialista

Imagem
Símbolo Imparcialista
Símbolo Imparcialista: O relógio do mundo  Marcando a aproximação da hora treze, Placa nos caminhos do mundo Indicando o caminho do meio, O caminho da direita, o caminho da esquerda, O número três símbolo da criação; o número impar.
A imparcialidade individual, A figura geométrica de oito lados, A simbologia do número oito no Tarot: A Imparcialidade da justiça, a ordem e o equilíbrio.
A cor da seriedade, do respeito, Da elegância, da nobreza, da dignidade,   A cor da luz, da vida e da eternidade.
O significado da seta, da flecha de Sagitário: o alvo à meta, o céu a terra. A simbologia do quadrado E do círculo que a figura octogonal engole.
O segredo não revelado Que se oculta atrás da palavra imparcial Onde o Imparcialismo nasce é morre.
Jonas Corrêa Martins J.Nunez

Blog Cidade de Marília: POESIA E LEITURA DO CONTEXTO

Blog Cidade de Marília: POESIA E LEITURA DO CONTEXTO: Poesia para a leitura do contexto contemporâneo O caminho do poeta Imparcialista é a imparcialista consigo mesmo. Partindo dessa e...

Ditadura do discurso

Absurdamente natural
Pedi uma bebida, Paguei com uma moeda  De uma só face, Que ignora a dualidade criadora. 
Um  filosofo de balcão dizia:   No mundo não há mais lugar Para quem tem opinião Que vai na contra mão Da Sociedade do Prazer,
Da ditadura do discurso: Nivelado, Santificado, Dignificado. 
Sobre as estrelinhas meu verso Faz contorcionismo, Faz do absurdo natural, Faz do perverso um santo.
Estou na mira;  Patético,  Fujo correndo em zigue zague... Para que não me aperte.
Salomão Alcantra
J.Nunez

Sociedade do prazer e do entretenimento

Sociedade do desejo
A verdade é imutável, No entanto, a fúria nos faz indelicados, Deselegantes, brutos, intolerantes e prepotentes Quando colocamos nosso ponto de vista Em defesa de nossas paixões.
Na Sociedade do Prazer O desejo subjuga tudo...
Na sociedade do desejo. Podemos considerar, Desconsiderar, negligenciar, Incluir, e excluir Segundo as nossas conveniências.
Com seus contorcionismos teóricos E segundo aos interesses de grupos Com seus vícios e desejos, A sociedade do prazer e do entretenimento Faz impossível o diálogo.
Faço da minha voz calada E da verdade imutável Meu ponto estratégico e meu abrigo, Onde vivo em profundo silêncio.  
Octávio Guerra J.Nunez