Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Juscelino Andrade, poeta da dualidade da vida, do fim do relativismo

Equivalência

Sou inferior e superior de alguma maneira;
Depende muito de que ângulo se é olhado.
Prevalece a lei de equivalência e funcionalidade.

Ela é feia, muito feia...
Mas cozinha muito bem,
Não sobra para ela muitos pretendentes,
Porém de amigos a casa anda cheia.
Prende as pessoas pelo paladar.
As cozinheiras é uma espécie de feiticeira.

A outra é linda, muito linda...
Porém é difícil achar nela um talento...
Restou a ela ser um cabide de moda e beleza;
Um tanto parnasiana.
Feito abre alas, sua imagem se impõe na entrada da festa,
Depois que a festa descamba para a informalidade,
Sua imagem desaparece e dá lugar aos piadistas.

A cada qual um brilho em dado momento.
É feia mais suga todas as atenções
E até um grande amor.
É feia e causa inveja e ciúmes;
O quanto é amada de verdade.

Seu marido tem aquele mistério e charme
Que o impede de ser simplesmente feio.
Ele, uma figura que se impõe a si mesmo
E aos outros, porém a simpatia e a gentileza
Salva o ar de consciência e superioridade.

A poesia se faz em um rascunho abstrato na cabeça.
Depois desce para o papel.
Agora saboreio os quitutes da festa.

Juscelino Andrade
J.Nunez


 Juscelino Andrade, poeta da dualidade da vida, do fim do relativismo  em si mesmo, da superioridade e da inferioridade das coisas, da estrutura e da deformação. Poeta que se relaciona com o mundo partindo de seu julgamento de certo e errado, sublime e degenerado.








Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Fique por perto!

Volte logo, Não demore muito, Fique por perto! Eu te esperarei dentro e fora do tempo. Sua alma é nobre, Fique no sangue do meu sangu...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA