Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Vídeo - O Sensacionalista: fantástica leitura da mulher contemporânea.

 

Mulher comete crime só para passar um tempo sozinha


Mulher Policrônica
Mulher moderna
Mulher policrônica
Mulher “dona de casa”
Mulher profissional
Mulher mãe
Mulher esposa.

A mulher moderna se tornou escrava de uma suposta liberdade.

Mulher sobre carregada
Mulher feliz
“Mulher livre”, supostamente
Mulher escrava
Mulher estressada
Mulher frustrada.
Octávio Guerra
J.Nunez

Escolha


Dançamos,
Exibimos a plumagem,
Ela escolheu um macho,
E foi criar os filhos sozinha.

 Abílio Santana
 J.Nunez


quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Ativista do Femen fica de topless dentro da catedral de Colônia, na Alemanha

AgNews, Foto Rio News, AgNews


26.dez.2013 - Ativista do Femen fica de topless dentro da catedral de Colônia, na Alemanha. Josephine Witt, 20, saltou sobre o altar, gritou lemas contra a posição contrária do Vaticano em relação ao aborto e exibiu pintura no corpo que dizia "eu sou Deus"Elke Lehrenkrauss/AFP
Leia mais em: http://zip.net/bclV9c




Estamos criando uma sociedade fragmentada em grupos radicais... 

Para manter seus direitos de crença e fé,
 Para manter seus princípios, cultura,
 Estrutura e salvar a própria existência;
 Será necessário que as instituições, como a igreja Católica,
 “Sai de cima do muro” E fale abertamente o que não aceita,
 E que não vai se autodestruir em prol de grupos
 Que desejam subjugar todas as suas tradições, valores religiosos e culturais,
 Aos seus prazeres, vícios e desejos de grupos.

 Estamos criando uma sociedade fragmentada em grupos radicais
 Com suas bases nos prazeres, nos vícios e nos desejos.

A sociedade contemporânea
Está a caminho de criar grupos radicais
Que não aceitam, abertamente, as imposições de outros grupos.
Estamos a caminho da exclusão da exclusão:
Grupos que se formarão a partir de uma suposta exclusão,
Criando outra forma de exclusão, muito mais complexa e perigosa.

Octávio Guerra
J.Nunez

Poesia esotérica imparcialista



Pégaso
A mente é Pégaso,
O cavalo alado,
Que nunca deve ser desarreado.

Sem arreios ele dispersa e foge...
A noite,  quando precisar,
Não conseguirá montá-lo.

Meu cavalo de asas
Conhece o caminho para os céus...
E me levará até os Deuses.

Jonas Corrêa Martins

J.Nunez 

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Padrão de Beleza Globalizado



Padrão de Beleza Globalizado

Somos a sociedade que glorifica
A liberdade e a diversidade,
Porém presa e escrava dos padrões e dos vícios...

Um Cristo de beleza caucasiana,
Uma cantora linda e negra americana
Querendo a beleza caucasiana,
Uma modelo chinesa perfeita
Querendo o padrão 
De beleza globalizado...;
Criando a beleza artificial,
Alimentando o racismo
E o preconceito histórico.

São as incoerências desse tempo
Em que vivemos nos labirintos
Redundantes das teorias...

Octávio Guerra
J.Nunez
  



Poesia e holística



A Essência da Vida

Contemplando um filhote no ninho 
Esperando ser alimentado...
Compreendi que
A vida em sua essência
Tem seu alicerce nos valores cristãos,
Ou de qualquer outra religião
Que possui  sua base
Na  humildade
No amor,
Na caridade,
Na compaixão,
Na contemplação,
E na interdependência...
Que nos dá a consciência
De que todas essas virtudes
É o alicerce e a essência da vida.

Saulo Menezes Castro
J.Nunez

Natal à moda possibilista



Natal á moda capitalista 

Antes de qualquer coisa o Natal 
Deveria ser uma vivencia mística;
Um novo nascimento na alma. 

O Papa disse que Natal
Não é festa, barulho e compras...
Muito menos coelhinha da Playboy nua....

Sociedade do relativismo, do nivelamento, 
Do possibilismo, da exploração de tudo
Como sendo produto, público e mercado consumidor. 

A sociedade consumista
Coloca tudo na mesma bandeja
Para ser servido como produto e serviço.

Tudo se desvaloriza com o nivelamento
Em prol do capitalismo,
Do mercado, do público consumidor 
E da sobrevivência do sistema capitalista.

O Cristianismo é servido na bandeja 
Como a cabeça de João Batista 
Em um banquete diabólico.

Octávio Guerra
J.Nunez  



terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Poesias espiritualistas

O Coveiro

Meu Deus, nesse dia
Me ajude a ser justo e verdadeiro
Como a pá do coveiro
Que enterra pobre,
Que enterra rico,
Com igualdade.

Se tu queres justiça entre os homens
Espere a morte, que chega a tudo e todos
Inevitavelmente.
                                                    Salomão Alcantra

                                                      J.Nunez


segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Sociedade e submundo

O Fazedor de Luz

"Como caíste do céu, ó Lúcifer, tu que ao ponto do dia parecias tão brilhante?"  Isaías 14:12

Natal rima com capital – ismo, disse o filosofo de taberna.
O Papai Noel, a Coca- Cola, aparelhos eletrônicos embrulhados para presentes
E fantasias sexuais de natal,  tomaram o lugar do Nosso Senhor Jesus Cristo-
Disse o filosofo de taberna.

Um Cristo empoeirado acima da porta,
O vento varreu as ruas feito uma senhora zelosa com a casa,
Em frente à porta do comércio, escorado na placa de proibido estacionar
Fumo maconha, passivamente, ou por tabela.
Ela pomba gira, suja e bêbada, ainda desperta em mim desejos lascivos,
No banheiro dos comércios arruinados,
Nos hotéis de quartos para putas e outros depravados,
Nos clubes sociais de fracassados, entregue aos bêbados e viciados,
Nos fundos,  um canto mais discreto
Para algo mais que os beijos de bocas imundas...

Com o bom cristão que não sabe que sua bondade está vestida de orgulho e vaidade,
Entre os porcos de estimação que são porcos e não sabem,
Entre essa gente que consegue ser mais sujo,  mais degradante que eu,
Por aqui eu sou rei dos espíritos imundos...

Foi aqui que descobri algo extraordinário:
Descobri que aquele outro em mim, sou eu mesmo...
Caiu do pedestal, está aqui entre gentes degradantes por afinidade,
Aquele espirito, aquele ser abstrato
Que se negava estar aqui, caiu do pedestal,
Agora somos um em uma só carne,
Agora estamos muito mais lúcidos...

Aquele e esse que fala com as pessoas, têm amigos,
Esconde segredos, luta, ama e odeia... É a mesma pessoa.  
Odeio textos abstratos aos olhos dos outros,
Mas não tenho outro modo de dizer, aquele sou eu mesmo.
Aquele é Lúcifer, o “fazedor de luz”

No canto da taberna uma árvore de Natal amarotada...
Com luzes queimadas.  

Abílio Santana 
 J.Nunez

domingo, 22 de dezembro de 2013

Marcha pelo seu direito de peidar em público...




Marchas

Marcha pelo seu direito
De peidar em público
Sem que sofra preconceito,
Sem que seja apontado como um peidão...

O slogan da nossa marcha é
Peidar é lindo e  faz bem à saúde...
Que se dane o nariz alheio.

Você que é um  peidão
Se junte a nós pelos nossos direitos de peidar
Sem ser desrespeitados...

Salomão Alcantra
J.Nunez


Poesia mineira?

Comer pelas beiradas

Minha poesia imparcialista
Tem um pouco de mineiro:
Come pelas beiradas,
Porque o meio é sempre mais quente...
Aprendi cedo!


José Nunes Pereira 

Sociedade dos nivelamentos, do narcisismo e do relativismo avacalhador...


Da inversão de valores ao relativismo avacalhador

A sociedade e os grupos espiritualizados cuidam da alma;
A sociedade materialista narcisista cuida, ou destrói o corpo...

Não existe mais  nem Socialismo, nem Capitalismo...
O que existe é relativismo...
Os dois agora são a mesma coisa:
Consumismo, exploração e capital.
O Socialismo que não é assim se tornou aberração política.

Tudo é a mesma coisa:
Homem é mulher, mulher é homem...
A sociedade das teorizações é redundantes, exploradora e possibilista:
Faz a exclusão da exclusão,
A prisão da liberdade,
A hipocrisia da hipocrisia
A exploração do explorado,
A desinformação da informação,
O sexismo do sexismo,
O preconceito do preconceito...

Na inversão de valores, o errado era certo,
Agora avacalhamos com tudo,
Não temos mais nem certo nem errado,
Tudo é equivalente...
A inversão de valores não deu conta  de se impor,
Estão foi preciso avacalhar, cair no relativismo absoluto...

Octávio Guerra

J.Nunez

Cronoconto ou cronopoema: Arrastão dos Zumbis e Guerra de Mamonas...



Arrastão dos Zumbis e Guerra de Mamonas

Zumbis materialistas, consumistas e informatizados
Fazem arrastão no Shopping Center da cidade.
São viciados em produtos industrializados,
Desejam possui-los a qualquer custo...
Zumbis não gostam de lojas de livros...

No estabelecimento da ruela estreita, 
Alguém começou uma briga,
Aos gritos dizia: _ Seu vagabundo!
Tive de rir com o pensamento:
(A quem ela se refere?  Aqui todo mundo é vagabundo! )

No estabelecimento da ruela estreita,
Entra uma senhora virtuosa e cristã evangélica,
Olha para o rosário e diz com muita fúria:
 “_ O senhor está crucificando o Cristo!”
O balconista responde com toda paciência:
_ Minha senhora! Temos aqui  beijo gay em público,
Casamento gay em massa, muita fumaça de maconha,  
Mulher transformada em homem gestando filho,
Mulheres imitando homens desajustados,
E a senhora ainda está nessa de implicar com crucifixo e rosário na parede!

Lá na calçada os meninos que não tem o que comer amanhã,
Falam de lutas, batalhas, metas, honras em jogos de computador.
E de como é que  mata polícias e professores em jogos virtuais...
No meu tempo fazíamos Guerra de Mamonas 
E não matávamos policias nem professores. 

Salomão Alcantra
J.Nunez



Postagem em destaque

Fique por perto!

Volte logo, Não demore muito, Fique por perto! Eu te esperarei dentro e fora do tempo. Sua alma é nobre, Fique no sangue do meu sangu...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA