Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

sábado, 11 de maio de 2013

CRONOPOEMA DO DIA

 Pindaíba

Seis e meia da manhã
Está ali do outro lado da rua,
Escorado no balcão
Um sujeito falando mole:
_ Não desejo nada de mal pra ela!
Essa ladainha vai o dia inteiro, a vida inteira.

Penso sem dizer: 
A culpa é sempre do outro,
Mesmo quando tudo indica que a culpa é nossa!

O sujeito resmungão é o Pindaíba.
Todo mundo sabe da sua história,
Apesar de ele, mesmo bêbado,
Nunca ter falado a verdade.
 Sua mulher foi embora com o primo rico,
Cansou da Pindaíba do Pindaíba.

Pindaíba é um pau mole.
Aprendi cedo a fazer da vida dos outros literatura.

Hermínio Vasconcelos
J.Nunez 

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Casais homossexuais ganham direito ao uso de fertilização in vitro

Milênios na lata de lixo...

Sexo entre iguais
É muito natural!
O problema é que não gera filhos.

Então é preciso esses artifícios científicos
Para que se cumpra a sociedade do individualismo,
Do prazer, do entretenimento, do consumo,
Da criação de mercados e do desejo;

Mesmo que para isso seja necessário destruir e reprimir
Tudo que vivemos, sentimos, pensamos,
Acreditamos, aprendemos, praticamos,
Obedecemos e nos guiamos por milênios,
Milênios na lata de lixo...

Salomão Alcantra
J.Nunez   


Casais homossexuais ganham direito ao uso de fertilização in vitro
Sexta, 10 de Maio de 2013 - 09:07
Fonte: Lúcio Borges com assessoria

O Conselho Federal de Medicina (CFM) aprovou uma resolução que garante aos casais homossexuais o direito de recorrer à reprodução assistida para ter filhos. A norma anterior previa que qualquer pessoa poderia ser submetida ao procedimento, mas era vaga e deixava margem para diferentes interpretações.
 
A nova resolução, que será publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União, explicita, pela primeira vez, o direito dos casais homoafetivos, um marco na luta pelos direitos civis dos homossexuais, embora faça uma ressalva ao estabelecer que será "respeitado o direito da objeção de consciência do médico".
 
Entre as novidades estão também a regulamentação do descarte de embriões congelados há mais cinco anos, o estabelecimento de uma idade limite para recorrer às técnicas de fertilização in vitro e a normatização da chamada doação compartilhada, quando os óvulos de uma mulher são usados por ela e por outra para engravidar.
 
Esta é a terceira versão da resolução do conselho. A primeira é de 1992, e havia sido modificada apenas uma vez, em dezembro de 2010. Nos casais formados por duas mulheres, uma delas poderá ter seu óvulo fecundado e ela mesma continuar a gravidez.
 
Pegar só o óvulo ou ter mulher da família
 
Se preferir, o óvulo pode ser introduzido no útero da parceira, para que as duas tenham participação no processo. Nos casais formados por dois homens, eles terão que procurar uma mulher na família para levar adiante a gestação.
 
A resolução do CFM estabelece que o "útero de substituição" deve vir de uma familiar separada por no máximo quatro graus de parentesco. Isso significa que, caso precisem, tanto um homem como uma mulher podem pedir para a irmã, a mãe, a avó, a tia ou a prima carregarem o bebê.
 
O limite anterior era para parentes de primeiro ou segundo graus, o que excluía tias e primas. O pagamento por uma barriga de aluguel continua proibido.
 
Já a doação compartilhada permite que uma mulher que não pode produzir óvulos custeie o tratamento de outra que também quer engravidar. Em troca, a doadora cede metade de seus óvulos.
 
Variáveis
 
Com isso, duas mulheres que não podiam engravidar — uma por falta de condições financeiras e a outra por não conseguir produzir óvulos viáveis — poderão se tornar mães. Mas a receptora deve estar pronta para assumir o risco de não ser beneficiada, uma vez que a doadora deve ficar com pelo menos quatro óvulos.
 
A resolução também estabelece uma idade máxima para que a mulher possa se submeter ao tratamento: 50 anos. Segundo o CFM, essa idade foi definida a partir de critérios científicos.
 
Também foi estabelecido em 50 anos a idade máxima para doar esperma e 35 anos para doar óvulos. Uma gravidez tardia e que seja resultado de células reprodutivas de pessoas mais velhas traz maiores riscos à segurança da gestante e da criança.
 
Receptora não conhecerá doadora
 
A doação compartilhada já era praticado nas clínicas, mas ainda não tinha sido regulamentada. Pela resolução, as duas mulheres não se conhecerão. A receptora receberá apenas dados sobre a doadora, como características físicas e escolaridade, mas não saberá de quem se trata. Continua sendo proibido comercializar óvulos e esperma.
 
"Não é mercantilização, mas solidariedade, porque aqui não está havendo nenhum lucro. Ela não vai ter nenhuma vantagem pecuniária, financeira", afirmou o presidente em exercício do CFM, Carlos Vital Corrêa Lima.
 
Hoje, quem não tem condições de custear seu tratamento pode recorrer ao sistema público de saúde. Mas apenas seis cidades oferecem esse serviço: São Paulo, Brasília, Recife, Natal, Goiânia e Ribeirão Preto (SP).
 
Custo alto
 
Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Assisitida (SBRA), Adelino Amaral, o tratamento em clínicas particulares custa entre R$ 15 mil e R$ 20 mil, e as chances de dar certo ficam entre 35% e 40%.
 
Amaral diz que de 10% a 15% dos casais brasileiros têm problemas de fertilidade. 
 
A resolução também regulamenta o descarte de embriões preservados há mais de cinco anos. Atingido esse prazo, os pais poderão descartá-los, doá-los para pesquisas de células-tronco ou doá-los para outros pacientes.
 
Caso prefiram, podem mantê-los congelados também. No caso de pesquisas com células-tronco, a Lei de Biossegurança permitia o uso de embriões congelados por pelo menos três anos até a data em que foi sancionada, em março de 2005. Mas nada dizia a respeito dos embriões criados depois disso.
 
"É terreno que não há norma contraditando isso. Então entendemos que isso não é absolutamente antijurídico", disse Vital.
 
A resolução também deixa mais claro que o número de embriões transferidos ao útero de uma mulher vai depender da idade da doadora do óvulo, e não da receptora.
 
Poderão ser introduzidos até dois embriões, caso eles sejam provenientes de doadoras com até 35 anos, três quando elas têm entre 35 e 40 anos, e quatro quando acima de 40.
 
Cumprimento da regra
 
O médico que não cumprir a resolução estará em desvio ético e os conselhos regionais de medicina (CRMs) e o CFM atuarão nesse cidadão — ressaltou José Hiran Gallo, tesoureiro do CFM e coordenador da Câmara Técnica de Reprodução Assistida do CFM. (O Globo)

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Um molde para todas as coisas.


Molde

Um molde para todas as coisas.
Sociedade cristã
Sem virtude, conceito,
Valores, dogma e princípios cristãos...
Sociedade cristã sem cristianismo.
Natal sem cristo.

Família em que homem
Faz o papel de mãe ou de pais,
Depende de quem, por convenção,
 Deseja ser o macho ou a fêmea do casal.

O molde para tudo é o mesmo:
Capitalismo.

Salomão Alcantra
J.Nunez

terça-feira, 7 de maio de 2013

Poesia para o Dia das Mães 2013


Essa mulher que ama incondicionalmente

Ser mãe está além
Da compreensão humana
E de minhas palavras
E seus sentidos inacabados.
Mãe é um ser inatingível com meus versos.

Só quem é, sabe o que é ser mãe.
Mãe tem  mistérios
Muito além da vida e do amor,
Muito além do sacrifício,
Muito além de ser humana,
Ser mãe está muito além dos conceitos
E dos limites de dedicação e sacrifício pelo outro.

Mãe desconhece a palavra adeus,
Amor de mães desconhece fronteiras
E ignora os limites do amor.

Não se pede moderação e sensatez
Para essa mulher que ama incondicionalmente.
Não se julga amor de mãe.
Mãe ama mais a extensão de si,
Que a si mesma.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Poesia para a valorização da mulher e do ser humano.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Saúde é produto e mercado consumidor.


Mercado da doença

Doença também é público
E mercado consumidor.

É mais lucrativo controlar
E prolongar a vida do doente,
Que curar o paciente.

Octávio Guerra
J.Nunez

Educação sexual contemporânea


Estamos quase lá na formação de uma nova geração:


Educação sexual 

O menino se gabando:
_Está vendo aquela menina?
_Peguei!
A menina gay responde:
_Eu também peguei!
O menino pergunta:
 _ Gostou!
A menina responde:
_Sim,  gostei!
O menino prolonga a conversa:
Mas quem era o sujeito ativo?
A menina responde:
Sexo não é aula de língua portuguesa!
Quem dá come, quem come dá, ora isso, ora aquilo!
Sujeito passivo e ativo é coisa do passado!

Albano Morais
J.Nunez

Como destruir o cristianismo?


Destruição do Cristianismo

Como destruir o cristianismo?
É só deformá-lo com o multiculturalismo e a diversidade,
Com imposição dos direitos sexuais,
Com a desculpa de Estado laico,
Com a democracia sem conceitos religiosos,
Com as teorias que ignoram milênios de história humana
E com a visão de um individuo superficial.
 Estamos conseguindo!

Só teremos paz com a auto-exclusão,
Por enquanto!

Por que os indivíduos oprimidos
Não criam uma sociedade “particular”
Uma instituição de pessoas
Com valores cristãos, religiosos e espirituais!
Formando assim a exclusão da exclusão.

Salomão Alcantra
J.Nunez

Sociedade do direito sexual

Inquisição gay

_O que o senhor acha do casamento gay?
_Não acho nada!
_ A única coisa que eu sei é que tenho uma família para sustentar.
Essa é a tipica resposta de um homofóbico enrustido!
O senhor está preso por homofobia.

Albano Morais
J.Nunez

domingo, 5 de maio de 2013

Aos turistas no país da copa.


Aos turistas no país da copa.

Aqui é o país do futebol, do carnaval,
Da conotação sexual e do sexo exótico,
Por isso não investimos em educação saúde, cultura e segurança.
Não preocupamos com essas superficialidades.

Segurança pública,
Esse é o nosso maior problema,
Por aqui estão estuprando a luz do dia e ao vivo,
Estão matando e saída distraídos,
Chutando pedrinhas nas ruas...

Nós, brasileiros, estamos acostumados
Com nossas insanidades sociais,
Não importamos, não deixamos de viver nossas diversões e confortos
 Por causa de problemas alheios...
Você turista, tem que assimilar a nossa “cultura”.

Albano Morais
J.Nunez 

sábado, 4 de maio de 2013 16:40 Assaltante estupra mulher dentro de micro-ônibus no Rio - AGÊNCIA ESTADO


Tempo Bestial

Quando é que a sociedade de homens de bem
Vai sair dessa negligência e desse adormecimento
Causado pelo tempo do entretenimento, da diversão e do consumo.
Quando é que sairemos dessa alienação
Causada pela Era do Entretenimento Virtual.

Revoltamos sim! Mas logo passa!
Somos engolidos pela diversão e a superficialidade...
De fato, não queremos nada que estrague o nosso dia!
Quando é que reagiremos à bestialidade
Que está se tornando cotidiana!

Estupro explicito e ao vivo!
Até quando a sociedade do nivelamento
Vai olhar para o estuprador, o assassino e o ladrão
Com o mesmo olhar que olha o homem de bem
E as menininhas no jardim da infância.

Sinceramente!
Perdi a paciência com aqueles
Que dizem que ainda somos modernos...
Somos as consequências do que foi o tempo moderno,
Somos agora selvagens, desumanizados e bestais...
Chegou o tempo em que a sociedade necessita reconstruir-se
E não inventar-se como estamos fazendo.

Albano Morais
J.Nunez




sábado, 4 de maio de 2013 16:40

Assaltante estupra mulher dentro de micro-ônibus no Rio

Agência Estado

Com uma arma na boca e em um ônibus que se dirigia ao Centro do Rio pela Avenida Brasil, uma mulher de cerca de 30 anos foi estuprada por um assaltante no fim da tarde da última sexta-feira, menos de 35 dias depois que uma turista americana foi atacada sexualmente em uma van na região metropolitana da capital fluminense.
Descrito como pardo, cerca de 24 anos, com cabelo preto corte tipo asa delta e parecendo estar sob efeito de drogas, o criminoso atacou a vítima em um micro-ônibus da linha 369 (Bangu/Carioca), depois de assaltar os passageiros e mandá-los para o fundo do veículo. O ataque sexual aconteceu na parte dianteira, ao lado do motorista, enquanto ele dirigia, e foi testemunhado por todos a bordo.
De acordo com informações da polícia civil, o homem embarcou na altura da Favela do Muquiço, em Realengo, na zona oeste da cidade, e, portando uma arma curta, anunciou o assalto. Depois de saquear dinheiro e bens dos passageiros, escolheu a mulher, levou-a para a parte da frente e a estuprou e agrediu a coronhadas. O estuprador desceu do veículo na altura do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), na zona portuária da cidade - a poucos quilômetros do centro.
A polícia solicitou à empresa Transportes Campo Grande imagens das câmeras de segurança do veículo, para tentar identificar o criminoso. Descrições do suspeito feitas pelas vítimas também vão ajudar nas investigações.
A vítima foi encaminhada ao Instituto Médico-Legal para coleta de material genético, visando a uma futura comparação com eventuais suspeitos. A mulher também foi levada a atendimento em um serviço de assistência social e recebeu medicamentos para prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e o coquetel anti-HIV, contra o vírus da Aids.
Estatística
No último dia 17, outro caso de ataque sexual chocou o Rio. Sua vítima foi uma garota de 14 anos, estuprada no Leblon, na zona sul, no fim da tarde. Estatística oficial da Secretaria de Segurança, divulgada neste sábado (4), aponta pequena queda em março no número de estupros na capital, em relação a fevereiro: 4,1%, de 146 para 140.
O novo ataque sexual em transporte coletivo aconteceu em um ambiente de crescente questionamento em relação à segurança e eficiência dos sistemas de transporte no Rio de Janeiro, principalmente ônibus, às vésperas do início dos grandes eventos internacionais. O processo se intensificou depois que, em 30 de março passado, uma turista norte-americana, que embarcara uma van para a região boêmia da Lapa, no Centro, com o namorado francês, foi sequestrada e levada para São Gonçalo, cidade da região metropolitana. No veículo com vidros escuros, a mulher foi estuprada em pelo menos oito ocasiões. Os criminosos chegaram a "oferecê-la" a outro homem, que a recusou.

Postagem em destaque

O Imparcialismo: O Ciclo de Saturno

O Imparcialismo que começou a ser escrito em 2006 E  revelado em 2008. Foi à leitura do fim de um período, Iniciado pós-guerras, tempos...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA