Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

sábado, 10 de novembro de 2012

A poesia imparcialista e cibernética, Mas bem que poderia ser mineira...


Bom Gosto Mineiro

Não sou de generalizar
Porém não existe mau  gosto
Quando se trata de comida,
Todo mundo gosta de comida boa...

Tenho gosto e jeito de mineiro,
Cismado, confio desconfiado,
Gosto muito de um causo
Mas sou sintético na prosa,
Não pergunto nada:
Jogo verde pra colher maduro

Venho comendo pelas beiradas...
 Mocotó, quiabo e jiló,
Galinhada, polenta, rabada, tutu,
Buchada, cuscuz, café, angu,
Canjica, pão de queijo,
Arroz doce, bolo de fubá...

Vejo comendo pelas beirada
Porque o meio é mais quente,
Venho comendo de longe!...
Venho comendo quieto,
 E depois de comido serei discreto.
 A poesia imparcialista e cibernética,
 Mas bem que poderia ser mineira...

Octávio Guerra
J.Nunez

.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Eu, modernismo, educação brasileira e cristianismo


Puta em fim de carreira

Não sou nada
E por não ser nada
É fácil ser moderno e cristão.

O modernismo é “caridoso”
Igual ao cristianismo e a educação,
Abriram o coração, se deformaram   
Para caber tudo dentro deles...

Eu também sou sem graça,
Igual polenta,
Só vou bem acompanhado.

Eu também não tenho forma,
Quem me conhece sabe
Como sou inconstante e gelatinoso,
Deformo quando é conveniente
Ou quando convém aos outros...

Eu também sou fácil
Como uma puta em fim de carreira...
Sem impor condições,
Já não me vendo, me entrego
Para ser comida...

Albano Morais
J.Nunez




quinta-feira, 8 de novembro de 2012

O Velho de Restelo contemporâneo


Retórica

Estou à venda!
Se alguém me pagar,
Faço que não vejo
E não falo!

Como ninguém
Vai me calar com dinheiro,
Serei o Velho de Restelo contemporâneo
Praguejando os iludidos do fim dos tempos.

Salomão Alcantra
J.Nunez

Mulher, futebol, cerveja e propaganda


Cerveja e futebol

A Ditadura Militar ufanista
Criou o país dos alienado pelo futebol e a bunda.

A indústria de cerveja
Alimenta esse ufanismo e essa alienação
Com propagandas que associam  
Futebol, mulher a cerveja,
Tudo por um objetivo capitalista,
Vender bebidas.

Pelo amor de Deus! Isso não é crítica!
Todo muito vê isso, é descarado!

Os Imparcialistas são muitos chatos...
Não se importam, porém
Não se fazem de cegos...

Salomão Alcantra
J.Nunez

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Movimento Imparcialismo contra o niilismo modernista



Modelo posa de cueca e com asas de anjo na igreja de Catanduva, em SP

Sociedade Niilista

Niilismo:
Sociedade dos possibilismos
De exploração capitalista de tudo.

Niilismo:
Sociedade do prazer
E  do entretenimento.
Sociedade deformação
E dignificação de tudo.
Sociedade nivelamento 
E desvalorização de tudo.

Niilismo:
Consumo e criação de mercado que nivela tudo,
Porém, preserva os valores de produtos e serviços,
Quando é conveniente.

Niilismo:
Ditadura das  liberdades
E da felicidade ao modo capitalista...

O Imparcialismo
Nasce onde o modernismo
Se afoga de niilismo.

Imparcialismo:
Crítica indireta ao contemporâneo
Com deboches, sutilezas, entre linhas,
Desconfianças, ironias, absurdos,
Sarcasmo, holística, justiça, virtudes,
Estrutura, ordem, regras,
Forma, coerência, verossimilhança,
Valorização do humano e da alma,
Estatísticas, aberrações e humor.
Crítica indireta em uma sociedade
Que de tão livre criou a ditadura da liberdade.

Octávio Guerra
J.Nunez

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Sociedade do Prazer - poesia imparcialista


Fuga e recompensa

O prazer foi dado por Deus
Para que ficássemos presos a vida
Em troca de alguns segundos de orgasmos.

O prazer foi dado para que a vida inteira,
E toda a busca, por alguma forma poder,
Se resumisse em alguns segundos de espasmos
Que faz a vida suportável...

Toda forma de poder no homem
Nasce e morre no sexo...
Disse o poeta Abílio Santana:
“O suspiro de morte é um orgasmo de ejaculação precoce.”

 Apesar dos homens metrossexuais,
Generalizando,  a mulher é mais narcisista que o homem
 Seu prazer é também auto-apreciação  
Nascida da vaidade e do poder de ser linda,
Porém essa vaidade e esse narcisismo
Apenas disfarça o sentido da vida
Que está no sexo e no dom de vida.

O dom da vida faz a mulher
Menos bestial e menos egoísta que o homem
Que vê no sexo sua válvula de escape da vida.

Quando não buscamos o prazer por fuga;
Buscamos por recompensa.
Somos escravos do prazer porque a vida moderna
Roubou de nós as pequenas alegrias de uma vida holística,
O hálito fresco da boca da noite...
E nos deu overdoses de vícios e sexo que não sacia e mata...

 Murilo Santiago
J.Nunez

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Mulheres gostam de homens...


Do que as mulheres gostam mais...

Mulheres gostam de homens depilados,
Mulheres gostam de homens peludos,
Não, quem gosta de homens pelados
É a indústria de creme e lâmina...
Mulher gosta mesmo é de homem...

Mulher gosta de homem metrossexual
Mulher gosta de cabelos grisalhos,
Mulher gosta de homens carecas,
Não, quem gosta de metrossexual
É a indústria de produtos de beleza,
Quem gosta de cabelos
Para ser pintados é a fábrica de tintas,
Quem gosta dos carecas é a fábrica de peruca,
Mulher gosta mesmo é de homens
Sensíveis, não a todo tempo,
 Sensíveis quando convém a sensibilidade.  

Salomão Alcantra
J.Nunez


Sociedade dos nivelamentos


Sociedade deformada

Dê autoridade para os pais,
É em casa que se  forma o caráter,

Dê autoridade para o professor,
É na escola que começam os afrontamentos
De indivíduos de má índole,

Dê autoridade para a polícia
É nas ruas que os criminosos se revelam.

Em uma sociedade deformada,
Como é a sociedade contemporânea,
Fica muito mais desestruturada
Se a escola, a família, as leis  
E a polícias se molda a Barbárie.

Octávio Guerra
J.Nunez 

domingo, 4 de novembro de 2012

A Violência no Brasil



O Veraneio

Um veraneio atemporal,
Levanta poeira, corta a lama,  
Ignora a estrada de chão,
Passa feita miragem dos anos 80.

É um veraneio cinza
Daqueles anos de chumbo
Passa lá na estrada de terra,
Num cenário que poderia
Ser dos anos da ditadura militar,
Tempos de repressão e de abusos.

Nosso tempo é de liberdade
Para bandido casar polícia pra matar.
O veraneio saiu de linha,
A desordem impera,
A malandragem faz refém 
Todos os homens de bem.

Naquele tempo o governo
Liberava o fio dental, 
A bunda , a  pornochanchada 
A cultura de alienados ufanistas
E calava a voz de quem protestava.

Lutamos para nos livrar
Da opressão da Ditadura;
Agora falamos e ninguém se importa.
O governo se tornou sínico,
Nos dá a voz de  protesto
E a si o direito de nos ignorar.

Ganhamos a liberdade
E justo com ela mais descaso
Caímos na opressão do poder paralelo
Armado e fortalecido por uma lei
Que nivela homens de bem e bandidos.

Octávio Guerra
J.Nunez



Sociedade da ordem inversa e do espetáculo sexual



Ordem Inversa  

Na sociedade do prazer,  dos entretenimentos
E dos espetáculos sexuais, Invertemos a ordem,
Começamos os relacionamentos amorosos pelo orgasmo,
Em muitos casos, pela ejaculação precoce...

Estamos tentando começar a vida
Pelas felicidades antes dos sacrifícios,
E o trabalho pelo sucesso antes das conquistas.

A educação de nossos filhos está começando
Com eles sendo olhados como adultos para o sexo,
Porém sem obrigações com a vida,
Com eles mesmos, com o trabalho, a política e sociedade.
Que pena que não sou adolescente...

Nivelamos de tal forma, que em muitos casos,
Os filhos são usados para educar os pais,
Desmoralizados...

Se eu fosse criança hoje
 Mandaria meu pai ir trabalhar
 Igual naquela propaganda na TV e ficaria assistido SKY.

Eu sou desmoralizado se olhado pela ordem direta da vida;
Moralizo graças à deformação da sociedade e sua ordem inversa,
Graças à inversão de tudo, eu me tornei um tipo e fetiche interessante...

Critérios!  Não tenho critérios...,
Meus critérios e você me querer por uma noite e nada mais...
Para que serve os critérios se nascemos sem eles,
Depois ficamos enjoados e o inventamos.

Abílio Santana
J.Nunez


Postagem em destaque

Fique por perto!

Volte logo, Não demore muito, Fique por perto! Eu te esperarei dentro e fora do tempo. Sua alma é nobre, Fique no sangue do meu sangu...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA