Postagens

Mostrando postagens de Outubro 21, 2012

Na sociedade da desinformação E da sexualidade bizarra, é tudo em dobro,

Femen
As manifestantes feministas do grupo Femen, Aquelas que mostram os seios, Fazem mais um protesto...
Você veio para ler a notícias Ou para ver os seios amostra... Esse é o cinismo do cinismo, A hipocrisia da hipocrisia...
Na sociedade da desinformação E da sexualidade bizarra, é tudo em dobro, Mostram-se os seios para dar noticias Que não é notícia, e o protesto que não é protesto.
Na sociedade das deformações E entretenimentos sexuais, É tudo em dobro, E não é nem uma coisa, e nem outra, De quebra, o sexo é grátis e fácil...
Salomão Alcantra J.Nunez

Drogas e acessos....

Globalização dos acessos
A droga é um ácido que corrói a sociedade... Escorre da cidade grande, passa por todos os guetos E edifícios onde moram os filhos do progresso... Passa por essas cidadelas à beira das estradas.
São tempos de globalização dos acessos... Drogas, sexo fácil  e tecnologias que alimentam o mercado E esvazia pratos de comida... Pensamos estar tudo bem, Habituamos com a falta de espanto!
Albano Morais J.Nunez 

Modernistas da modernidade vencida...

Pronto, falei!
Você conhece o seu tempo? Caro patético poeta Imparcialista, Pedagogo inocente e sentimentalista, Teórico mentiroso, simplista ou alienado, Filósofo e artista que faz da deformação a forma, Modernistas da modernidade vencida...
Tudo que resta é a deformação do que foi modernidade. Quem mais sabe da realidade é a polícia, que está sendo assassinada... Quem sabe mais da verdade são mestres sem discípulos; São eles mastigados pela realidade cruel Das ruas e sua selvageria urbana, E das salas de aulas depósitos de pessoas.
Essa é a realidade que eu sei: A adolescente aidética transmite sua doença Para todos pedófilos,  ou não,  que pensa desabrochá-la. Pronto, falei!  Com um corte brusco e imediatista.
Albano Morais J.Nunez

Sexo na sociedade contemporânea

Sociedade passatempo sexual e entretenimentos
Passatempo sexual
Sociedade bizarrice sexual Não podemos consumir o tempo todo; Fazemos do sexo um produto para ser vendido a qualquer hora.
Criamos à sociedade passatempo sexual, Sexo gratuito que alguém está pagando E outro alguém está lucrando.
Sexo na televisão, na internet, Na música comercial de conotação sexual, Nas danças, sexo nas praias..., Nos anúncios, nas falas, garotas insinuando sexo... O passatempo sexual na sociedade dos entretenimentos É deselegante, selvagem, bizarro e grosseiro.
Octávio Guerra J.Nunez

Poesias Imparcialistas

Vínculos hereditários
As expectativas dos avanços No conhecimento genético Deu ao ser humano esperança De apagar seus vínculos genéticos Com as doenças hereditárias, E desvincular se de Deus E da lei do Karma.
Negaremos à existência de tudo Que impeça o progresso cientifico E a felicidade da sociedade do prazer E do entretenimento sexual.
Mas, há sempre uma verdade primitiva Uma origem sufocante, Uma essência divina, Um conhecimento oculta A nos condenar...
Octávio Guerra J.Nunez

Modernismo e a tendência contemporânea Imparcialismo

Modernismo e a tendência contemporânea Imparcialismo
O desencontro entre a nova tendência para a poesia e a arte e o movimento vigente modernismo, se dá nas consequências da modernidade, no efeito da primeira ideia de romper com tudo, destruir, desconfigurar tudo, na exploração de tudo em nome do capitalismo, na dignificação de tudo em nome do mercado consumidor, na teorização de tudo,  na deformação da arte, até chegarmos ao cúmulo da arte conceitual...  O Imparcialismo nasce onde o modernismo termina, ou onde ele vive em agonia de morte, nasce da necessidade de ordem, regras, limites, valorizações humanas, espiritualidade natural, equilíbrio, visão holística, paz interior, valores, hierarquias;  nasce da consciência do mundo físico, do mundo abstrato e do subjetivo  e da  consciência de  que precisamos de estrutura, forma e ordem.