Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

sábado, 24 de março de 2012

Desvalorização do trabalho e do ser humano.


Em uma sociedade em que os valores estão no capital e no consumo, nas liberdades de todos os tipos, os valores humanos são todos deturpados e os profissional da educação e da segurança não são importantes e nem valorizados de modo objetivo e real, e  muito pior ainda,  são  desmotivados em sua verdadeira função em razão de tamanha indiferença da sociedade, do sistema e do governo; em uma sociedade que não valoriza a educação, a moral, a ética, a disciplina, a ordem, as regras, os bons costumes, o exercício das virtudes e da cidadania  e a espiritualidade; Essa sociedade se escancara  para todos os tipos  de  degradações e destruições dos valores, do humano e das virtudes.
José Nunes Pereira 

quinta-feira, 22 de março de 2012

A Ilusão de não Sacrifício, imediatismo e altruísmo


A Ilusão de não Sacrifício, imediatismo

A sociedade contemporânea têm seus valores pautados no consumo e no capitalismo.
A partir do momento em que a sociedade moderna começou à conquista de avanços tecnológicos
e científicos sofreu uma identificação com o contexto que se prolonga até esse momento e que
já estamos chamando de pós-modernidade...
A sociedade moderna se identificou e sem fundiu completamente com o seu tempo, a
sociedade moderna foi criada a partir da concepção de mercados consumidores; a família era
o coração do capitalismo e do consumismo, porém o capitalismo, a industrialização e o
consumo vem destruindo a família tradicional e formulando outros conceitos de família.
A partir do momento em que a mulher entrou de modo significativa no mercado de trabalho,
criou novos mercados e produtos para esse novo público consumidor de novo produtos.
A sociedade moderna, com a invenção da pílula anticoncepcional e a mulher atuando e
conquistando seus espaços no mercado, trouxe a liberdade sexual e a liberdade e a liberdade
socioeconômica para a mulher. A consequência dessas conquistas femininas trouxeram ao
homem, a mulher e a sociedade uma frouxidão nas condutas, nos valores, nos tabus, nos
conceitos e na educação de seus filhos, e tudo está sendo moldado ao desfrute dos prazeres
dessa sociedade entregue a busca da felicidade em seus cinco sentidos.
O avanço cientifico e tecnológico trouxe ao ser humano pós-moderno um apego ao que é
terreno e o desconectou definitivamente da visão holística e da espiritualidade natural,
perdemos o ritual de viver e envelhecer com sabedoria, não aceitamos mais a vida como ela
realmente é, e não aceitamos a morte porque perdemos o contato com o universo e a
espiritualidade natural...
Somos imediatistas porque vivemos a era da desinformação da informação, somos o reflexo da
velocidade dos computadores, da sociedade absurdamente competitiva, somos o reflexo dos
produtos que lutam para sair na frente do concorrente, somos o reflexo da televisão que
muda sua programação de acordo com o lucro, somos o resultado de tudo que foi moldado
para formar ou conservar seguidores, somos resultado do resumo e do sintético em de tudo,
somos resultado da eliminação de rituais que prolongou demais as coisas...
Somos resultado da desvalorização da simplicidade, do contato com a sabedoria popular, do
conhecimento, das crenças populares, dos rituais de vida e fé popular, do desprezo pelo
conhecimento de culturas milenares, somos o resultado da eliminação de tudo que é de graça
para a formação de produtos e conhecimentos que se tornaram produtos e mercados
consumidores... Hoje eu compro o conhecimento de minha avó benzedeira na farmácia da
esquina, compramos o que foi conhecimento popular e gratuito que agora chamamos de
descobertas de laboratórios...
A criação de mercado deixou nos ignorantes para nos vender o que era nosso...
Não queremos altruísmo porque somos a sociedade do prazer, somos a sociedade que busca a felicidade
estritamente materialista, mesmo quando nossa busca pela felicidade não parece materialista;
ainda assim é materialista, é preciso observar o discurso religiosa que deixou de pedir salvação
num mundo além para pedir prosperidade e felicidade terrena...
Não deixaremos de ser imediatistas nem possuiremos altruísmo enquanto não percebermos
que estamos em um labirinto chamado pós modernismo, e que estamos em um tempo que é
resultado da industrialização, dos avanços tecnológicos, do capitalismo, do consumismo e da
criação de mercado que resultou na sociedade do prazer que prefere tudo pronto, moldável e
comprável para não ter trabalho... Criamos a ilusão do não sacrifício quando a vida é em si
trabalho, e a vida pós moderna é muito mais trabalho com insignificantes gratificações por
eles...pagamos o imediatismo e a falta de altruísmo ou a ilusão de não sacrifício com a própria
vida!

Salomão Alcantra

J.Nunez
Pesquise a literatura imparcialista e encontre mais sobre altruísmo e sociedade imediatísta...Ou entre em contato com o poeta j.nunez: j.nunez@bol.com.br  

Divulgue acessando:


http://literaturaimparcialista.blogspot.com

quarta-feira, 21 de março de 2012

Um pouco da verdade sobre as piores escolas públicas do Brasil...

Depois de ler esse artigo, logo abaixo,  você encontra notícias que comprovam essa realidade.


A Verdade sobre as piores escolas públicas do Brasil

A educação e a pedagogia pós-moderna,
É tecnológica e romântica...
Somos educadores e pesquisadores românticos...
Enquanto o conhecimento empírico e o jornalismo
Revelam a realidade que a escola,
Os alunos e os professores estão vivenciando...

O descaso e o desmando que chegou a educação
É reflexo da falta de autoridade dos formadores de cidadãos
Essa é a sociedade da conversa vazio
Que destruiu a autoridade dos pais, dos professores e da escola.

A realidade da educação nas piores escolas do Brasil:
São professores apanhando em sala de aula,
Alunos interessados, alunos acima da média,
Sufocados pela “escola inclusiva” que nivela tudo por baixo,
Professores doentes, professores a ponto de enlouquecer,
Professores destruídos em sua dignidade e auto-estima,
Professores com vergonha de serem professores,
Professores sem salários nos meses de janeiro, fevereiro,  março e abril,
Alunos fumando maconha dentro de banheiros,
Alunos bebendo energéticos e bebidas alcoólicas,
Alunos transando em salas de aulas, na hora do intervalo,
Alunos passando músicas enquanto o professor
É apenas o “mediador do conhecimento”
Mediador que em muitas escolas
É o mesmo que nada dentro da sala de aula,
Professores recebendo menos de 50,00 reais de fale refeição,
Professores fugindo da educação,  mudando de profissão
Ou adiantando a aposentadoria,
Alunos que desconhecem o valor do trabalho e da educação
Nessa sociedade dos ídolos, do não altruísmo, do imediatismo
Dos prazeres, do consumo, dos entretenimentos e das ilusões de facilidades,
Pais que dizem aos diretores: “eu não posso fazer nada”,  
“se eu fizer alguma coisa vou preso” “Ele já me denunciou”
 Professores fazendo da educação um “bico” porque não compensa,
Educação escondendo suas deficiências atrás aparelhos eletrônicos,
Alunos, educação e professores iludidos com aparelhos eletrônicos
Que são apenas produtos para serem consumidos;
Aprendizagem exige sacrifício e gosto pelo conhecimento,
 Escolas que se desestruturam porque cederam
E se moldaram ao público desestruturado que elas atendem,
Alunos rasgando, jogando, chutando material escolar fornecido pelo governo,
Professores e escolas com medo de alunos e pais de alunos,
Alunos jogando professores contra seus pais,
Alunos que não tiram o material escolar da bolsa durante o ano inteiro,
Alunos que são capazes de dizer que vão à escola “só pela bolsa família”
Alunos que contam suas próprias faltas como único critério de reprova,
Alunos que questionam o professor com perguntas como essa: 
“Por que o fulano passou de ano se ele faltou o ano inteiro.”
Alunos escutando músicas com conotações sexuais,
Alunos que afrontam professores, diretores e pais;
São todos sem autoridade sobre a criança e o adolescente,
 Porém todos respondem pelos crimes
Que por ventura esses adolescentes possam cometer...

Salomão Alcantra
J.Nunez


Pior colégio tem baile funk em aula e rebelião

Pior colégio tem baile funk em aula e rebelião


A infraestrutura do colégio também não ajuda: placas de aço protegem as janelas de vidro, constantemente quebradas


ADRIANA FERRAZ
DO "AGORA"

Na mochila dos alunos do ensino médio da Escola Estadual Madre Paulina, no Itaim Paulista (zona leste de SP), os cadernos e as apostilas dividem espaço com minicaixas de som e pen drives, ao menos uma vez por mês. É o dia do baile funk.
A unidade foi a que obteve a pior pontuação em língua portuguesa entre os alunos do 3º ano do ensino médio no Saresp 2010 (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo).
O ranking foi elaborado pela reportagem a partir dos boletins fornecidos pelo governo estadual.
Com 230 pontos, a Madre Paulina está no nível abaixo do básico ou insuficiente.
No colégio, é comum haver música alta dentro das salas, e em período de aula. São os alunos que fazem a seleção e determinam o horário da festa, que pode ocorrer de manhã ou à noite.
Os professores reclamam, mas não conseguem evitar, dizem os estudantes. Policiais que fazem ronda na região confirmam a prática e denunciam outros atos indisciplinares, como consumo de drogas, brigas entre gangues e até rebelião.
"Há poucos dias tivemos de entrar lá para apartar uma guerra de maçãs. Os alunos, que ficam trancados em um corredor durante as aulas, estavam se atacando com as sobras do recreio. Eles gritavam que era rebelião, e parecia mesmo", diz um policial.
A infraestrutura do colégio também não ajuda: placas de aço protegem as janelas de vidro, constantemente quebradas.
A Secretaria de Estado da Educação não autorizou a entrada da reportagem na unidade ontem. Alunos relataram, porém, diversos problemas estruturais, como cadeiras e mesas quebradas, ausência de portas nos banheiros e buracos na quadra de esportes.
O histórico de problemas desanima os próprios jovens. "Até quem tenta estudar não consegue. É um ambiente que não combina com o ensino. Estou lá desde a 5ª série [atual 6º ano do ensino fundamental] e o desânimo é geral. Tem professor bom, mas têm outros que até passam a resposta na lousa para não ter que explicar", diz Talita da Silva Medeiros, 17.
A colocação da escola no ranking do Saresp não surpreende as turmas da unidade. "É assim mesmo. Os professores já desistiram da gente", lamentou Uemerson de Bastos, 16.
OUTRO LADO
Procurada, a Secretaria da Educação não se manifestou até a conclusão desta edição.
Fonte: Folha de São Paulo (SP)

Um grupo de aproximadamente 20 jovens tentam invadir escola para roubar celulares. Fonte IG




03/10/2011 - 07h30

Escola na lanterna do Enem tem "cracolândia" e nerd com nota 6


ANNA VIRGINIA BALLOUSSIERDE SÃO PAULO






PROFESSOR NA SOCIEDADE DO ENTRETENIMENTO E DO PRAZER

As notícias de professores apanhando em sala de aula é uma prova de que o nivelamento na sociedade do prazer e do entretenimento é realmente destrutivo para a educação e para a sociedade de um modo geral. 
A ideia inocente e romântica de professor mediador destruiu desvalorizou e roubou a autoridade  do profissional que tem a obrigação formar a sociedade e o cidadão.
Ainda somos obrigados a ler e escutar aquela psicologia e pedagogia da inocência  que diz que o professor deve interagir com esse alunos;  como seria interagir com aluno que bate na cara de professores? Gostaria que esses pesquisadores entrassem  na sala de aula e ensinassem como se interage com alunos que manda professor ir tomar no rabo, com alunos que brinca com celular enquanto o professor fala para um,  dois ou nem um em uma sala com quarenta alunos, com se interage com alunos que estão sendo formados pelas mídias e músicas que coloca conotação sexual em tudo, como se interage com alunos que vive o tempo do prazer, do entretenimento e do não sacrifício, com se ensina matemática;  sem que o aluno precise se concentrar e fazer o sacrifício de estudar, pesquisar, pensar... A educação na sociedade do prazer e do entretenimento criou a teoria do não sacrifício, das liberdades que são libertinagens, da não repressão e baniu a punição; o aluno só descobre que essa liberdade e libertinagem é impossível quando chega a idade adulta e a sociedade repreende por que não é possível viver em sociedade quebrando regras, hierarquias, ordem, disciplinas etc. A educação com essa pedagogia da liberdade, do nivelamento e da inocência não está conseguindo nem si quer formar cidadãos.   

segunda-feira, 19 de março de 2012

Poesia Esotérica, religiosa, espiritualista...

Música - Me dá o Tchu - A sociedade das coisas descartáveis....




Sociedade das coisas descartáveis 

Essa é a cultura que estamos formando
com o auxílio das UNIVERSIDADES e JOGADORES DE FUTEBOL...
Essa é a nossa futura consciência humana, cultural e politica,
Essa é a sociedade dos ídolos, dos prazeres, dos vícios
E entretenimentos que destroem todos os valores humanos...

Essa é a sociedade sem altruísmo
É a sociedade imediatista em que tudo é descartável e trocado por outra coisa descartável!
E assim SUSTENTAMOS a superficialidade, o consumo e a bestialidade...

Essa é a sociedade que transformou a religião e a espiritualidade
Em diversão e entretenimento para não perder público
Nessa tempo em que o prazer e a diversão é tudo e está em tudo...

Esse é o tempo do falso imediatismo, da mentira de facilidades e não altruísmo...
Esse é o tempo em que vendemos a alma ao diabo pelo prazer imediato...
A  sociedade do prazer e do entretenimento funciona
Do mesmo modo que qualquer viciado!
Haverá uma overdose muito em breve!

Salomão Alcantra
J.Nunez



UMA LEGIÃO DE MENTES BRILHANTES E ANÔNIMAS Talentos, vocações e fenômenos desperdiçados no Brasil...


Fábrica do descaso....
Talentos, vocações e fenômenos desperdiçados no Brasil... 
Não estou falando de futebol!
No Brasil a única preocupação que se tem é a de conservar o poder
Nas mãos do governo e de uma minoria que estuda
Em escolas particulares e universidades públicas;
Alunos pobres e de escola pública
Devem se contentar com a esmola da bolsa família,
Com e escola da família que é uma faz de conta que pobre tem lazer
E com a progressão continuadas
Que dá ao aluno o diploma de ensino médio
Mesmo que ele ainda não saiba ler e  fazer as quatro operações.
Um país com essa mentalidade colonial e medíocre,  
Realmente, não vai se importar com talentos e vocações de alunos pobres...
J.Nunez

UMA LEGIÃO DE MENTES BRILHANTES E ANÔNIMAS

Brasil não tem estrutura eficaz para identificar o desenvolvimento de crianças superdotadas e fica aquém de outros países. Segundo projeção da ONU, estima-se que haja 1,2 milhão de jovens talentos desperdiçados

Fonte: Correio Braziliense (DF)
Para cada criança ou adolescente superdotado no Brasil, há outras 140 mentes brilhantes anônimas. O número de talentos não identificados e, portanto, desperdiçados no país chega a 1,2 milhão de meninos e meninas — considerando a estimativa mais rigorosa da Organização Mundial da Saúde, de 3% de detentores de altas habilidades em qualquer população analisada. Reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC), entretanto, só existem 9.208 alunos, das redes pública e privada, nas turmas da creche ao ensino médio, incluindo as séries para jovens e adultos. O Distrito Federal se destaca, com a maior proporção de superdotados, cerca de 5% (leia quadro).

“Países que já perceberam que esse capital humano pode ajudá-los a crescer socialmente passaram a investir, alcançando o índice aceito hoje na literatura, de 15% a 20% de alunos altamente capazes. Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão, entre outros, têm políticas sérias”, afirma Maria Cristina Dellou, presidente do Conselho Brasileiro para Superdotação. No Brasil, embora haja legislação, programa federal e recursos para trabalhar com os superdotados, faltam professores capacitados para identificar e lapidar os talentosos, na avaliação de Maria Cristina, que é doutora em Educação.
Docente do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília (UnB), Denise de Souza Fleith tem percepção igual. “Professores com 20 anos de sala de aula dizem que nunca tiveram um superdotado. Será? É preciso romper também com uma questão cultural e ideológica, que desconsidera a existência das pessoas com altas habilidades ou chega a hostilizá-las”, afirma Denise. O mito de que o superdotado tem de ser gênio em todas as áreas do conhecimento também dificulta a identificação.
“Não é raro o aluno se tornar desinteressado, porque tem de ficar repetindo mecanicamente o que ele sabe analiticamente, em função do raciocínio adiantado em relação à turma”, diz o professor Benilton Rezende Monteiro, que atende superdotados na área de ciências no DF. Em 2006, o MEC instalou núcleos para superdotados nas 27 unidades da Federação. Muitos, porém, funcionam precariamente. “Temos conhecimento que DF, Mato Grosso do Sul e Paraná desenvolvem políticas adequadas. Os demais estados fazem do jeito que podem”, diz Maria Cristina. O MEC foi procurado, mas não retornou os contatos da reportagem.

Postagem em destaque

O Imparcialismo: O Ciclo de Saturno

O Imparcialismo que começou a ser escrito em 2006 E  revelado em 2008. Foi à leitura do fim de um período, Iniciado pós-guerras, tempos...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA