Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

CRIAÇÃO DE MERCADO, CONSUMISMO E INDUÇÃO A MUDANÇA PARA CRIAR MERCADOS CONSUMIDORES

Mulheres,  homens e criação de mercado

As propagandas com mulheres
Tomando cerveja na praia
E dando cantada em homem,
Revela o poder socioeconômico
E a liberdade sexual da mulher pós-moderna.

A indústria de cerveja
Explora um novo mercado consumidor:
As mulheres que tomam cerveja com amigas
E praticam sexo sem compromisso.

A indústria faz insinuação de liberdade que imita homens,
E assim cria um mercado de mulheres
Consumidoras de bebida alcoólica
E praticantes do sexo descompromissado...

Quando esse mercado e essa nova mulher estiverem consolidados,
Pensaremos que foram revolucionárias
Nunca suspeitarão que na verdade
Foram induzidas a praticar essas liberdades.

Fomos induzidos na industrialização, no sexo,
Na família, nos comportamentos,  no capitalismo etc
Fomos induzidos a fazer  o que era bom para o novo sistema implantado,
Ficamos com a ilusão de revolução e progresso,
Até que acordamos com a família e os valores humanos desfeitos
E com o pesadelo da grande catástrofe ambiental que se aproxima.

Estamos criando o mercado de homens metrossexuais,
Consumidores de todas as novidades do mercado da estética masculina,
Esse homem que ficam entre o gay e o não gay,
Um homem de pele macia e depilada, e com silicone na bunda...
Esse homem metrossexual não pode ir para a cadeia!
Porque ele já vai pronto virar namorada de alguém.

Salomão Alcantra
J.Nunez

  

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

O Narrador do fim dos tempos...

Narrador da grande Catástrofe

 Haaaaaaaaaa...
Eu, o eremita do Monte Verbo
 Não tenho a pretensão
De mudar ou salvar o mundo!
Quero apenas estar com os olhos bem apertos...
Para narrar desde o "principio do fim"
Até o momento da grande catástrofe que me engolira
Feito o filósofo Empédocles,
Engolido pelo vulcão Etna.
A matéria se deforma e a consciência
Prevalece fora do tempo e do espaço.

Albano Morais
J.Nunez

GLOBALIZAÇÃO E CULTURA DE CONSUMO

Globalização e multiculturalismo Brasileiro

Nas cozinhas as mulheres negras, brancas  a índias
Misturaram doces, bebidas, comidas,  modos de preparo
Temperos, ingredientes  e utensílios.
Nas praticas  culturais e religiosas praticamos o sincretismo,  
Misturamos rituais, rezas, crenças, objetos, ervas,
Costumes, danças, instrumentos musicais e santos
Que se protegeram com o nome de outros santos católicos
E danças que disfarçaram a luta.

Nas camas, porões de senzala, igrejas, canaviais, rede de dormir,
Roçamos coxas misturamos cores, pele e sangue.
Somos filhos da pouca vergonha
Fecundados longe dos olhos da igreja,
Somos filhos do Senhor de engenho com a escrava,
Somos filhos da menina casada na primeira menstruação,
Somos filhos de cristãos novos fugidos da inquisição,
Somos filhos dos exploradores de eternas ideias coloniais,
Somos filhos dos que foram trazidos a força
E dos que estavam aqui e ainda desconhece a terra Brasil.  
A cultura brasileira miscigenada foi criada
Na inconsciência e na mecânica das paixões e desejos descuidados.

 A mecânica e a inconsciência da globalização,
 Do multiculturalismo, da era da informação, da sociedade do prazer
Da cultura industrializada e consumista está criando o mundo
Da cultura de consumo, de exploração dos recursos naturais,
De possibilismos sociais, de deformações pós-modernas,
 De superficialidade dos prazeres sexuais e materialistas.
A cultura de consumo paira por sobre as culturas regionais
Com o luxo de ignora ou formatá-la  ao seu gosto capitalista,
Ou simplesmente paira sobre e prevalece.
Preservamos a pele e mudamos o sangue.

Salomão Ancantra
J.Nunez



quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

MANUTENÇÃO DO PODER, SOCIEDADE DO CONSUMO, CULTURA DE EXCLUIDO, CULTURA DE ELITE

A manutenção do poder e a cultura do excluído

A cultura ou a falta de cultura e educação
Dos excluídos na televisão brasileira
É uma falsa valorização
Que esconde o deboche,
E a manutenção do poder na mão da elite.

Falsa valorização que disfarçada
A exploração da sociedade  possibilista
Que faz dinheiro, produto e mercado
Com qualquer coisa que represente
Entretenimento, consumo, sexo, vicio e prazer.

Os excluídos são expostos na televisão
Como espetáculo de ignorância, degradação e horrores.
Enquando a classe excluída
É colocada na televisão como espetáculo
Para si mesmos, os filhos da elite estão
Desfrutando da cultura e dos conhecimentos
Objetivos e elitizada nas melhores universidades do mundo,
Que garantem a manutenção do poder da elite.

Há também filhos da elite engolidos
Pela cultura industrial, pelas drogas,  álcool e perversão
Própria da classe dos excluídos, dos sem rumo na vida.

A preservação da cultura e dos costumes dos excluídos
Também é a conservação do poder,
A liberdade também é prisão
Se olharmos para além das aparências.

A indústria dos eletrônicos ganha dinheiro
Com aparelhos para espiar a pessoa ama,
E colocam suspeitas, dúvidas e supostas traições nos amores;
E faz das fraquezas humanas mercados consumidores.
 As indústrias substituem valores humanos e religiosos da sociedade
Pelos valores de seus produtos,
E dão valores humanos e espirituais a suas mercadorias.
A sociedade do consumo adora um deus capitalista.

Albano Morais
J.Nunez

Polícia invade à cracolândia 2012 - expõe para a sociedade miséria humana...e o descaso histórico.




As drogas a família e a cracolândia

A cracolândia é a personificação do inferno,
E a síntese da desestruturação da família e da sociedade,
E a degradação humana, é a falência do poder,
É a materialização da baixeza e da indignidade humana,
É um exemplo de bestialidade e inconsciência,
É nossa personificação da irresponsabilidade com o ser humano,
É o depósito de lixo humano...

Ainda ousamos pensar em liberar a Maconha,
Diante do inferno das drogas que é a cracolândia
É vergonhoso, inconseqüente, irresponsável tal pensamento.

Quem sustenta a humanidade são os homens de bem,
São eles que fazem a vida possível...
Os rebeldes sem causa de todas as épocas são apenas
Ignorantes que não possuem uma visão da realidade
São incapazes de observar o mundo que é obvio e real.

Quem sustenta a humanidade é a família estruturada dentro dos princípios da moral,
Da dignidade, do amor, da fraternidade, da decência, da caridade, da lealdade, da responsabilidade, e muitas outras virtudes, a família possui valores intocáveis...

Apesar de toda a inversão de valores, a sociedade é sustentada pela família e pelos homens de bem capazes de podar e punir seus próprios instintos bestiais.
Não são os drogados e os bêbados a base que sustenta a humanidade,
Basta observar que se toda a humanidade caminhasse para as drogas e para o crime a vida seria simplesmente impossível...

Os filhos drogados são uma ameaça para a família e a sociedade, os filhos drogados
São incapazes de manter a si mesmos em suas necessidades básicas
Por isso os filhos drogados roubaram e mataram seus pais para alimentar seus vícios.

A família é para onde voltamos,
A família é à base da humanidade,
A família e seus valores intocáveis é que sustentam a humanidade ,
O mundo não pode ser sustentado por viciados,
A vida seria impossível se não fosse os homens de bem e castos de vícios,
Isso é óbvio, estão à liberação de drogas não deveria nem si quer ser discutida...
Quem é que daria um trabalho para um individuo drogado para que ele compre sua
Própria droga? Eu não ariscaria!

Já basta o capitalismo e a industrialização que estruturou a família a eu modo e a desestruturou como conseqüência da perda de valoreis intocáveis que deu lugar ao consumismo e a libertinagem dos instintos e da sexualidade sem compromisso dos adolecentes, homens e das mulheres.
Essa é a sociedade do prazer!...

J.Nunez

"Os artigos imparcialistas é a obra e o estudo para a obra."

A GRANDE REVOLUÇÃO VERDE - SAÚDE, SOCIEDADE E ECONOMIA.



A grande revolução Verde

A revolução verde começou!
Ruas, praças, canteiros,
Alamedas, rodovias e bosques,
Tudo verdejou e floriu
Sobre as chuvas de verão
Sobre as estações ano.

As casas estão floridas e verdes,
Os beija-flores voltaram para nossas varandas,
Os pássaros estão em nossas janelas,
Nos quintais ajustados estão galos, patos e galinhas,
As crianças colhem frutas amadurecidas
Nas árvores em nossos quintais,
As donas de casa colhem, para o almoço,
Legumes e verduras aqui nos canteiros,
Jardins, cantinhos, hortas aéreas,
Corredores, varandas, sacadas, áreas de serviço,
Viveiros e jardins que são cultivados em todas as casas,
Provocando a grande revolução verde:
O retorno a um tempo de mundo e vida natural.

Cícero Fernández
J.Nunez

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

LIBERAÇÃO DA MACONHA.

Liberação da maconha

A sociedade repressiva
Não libera a maconha.
A sociedade repressiva
Prendeu o drogado que pensou em roubar
E tirar minha vida para sustentar seu vicio
Enquanto eu comprava a maconha
Que a sociedade repressiva proíbe...
Tenho que mudar meus conceitos sobre repressão!

O cara da frente do meu apartamento
Foi morto essa madrugada com um tiro na cabeça
Enquanto escutava
Seu rock metal que rasgava a madrugada
E tomava um ar fresco e fumava...
O seu vizinho do lado esquerdo
 Tinha que levantar cedo para trabalhar;
Agora não precisa mais!
Tenho que pensar melhor nesse conceito de sociedade repressiva!

Salomão Alcantra
J.Nunez

O possibilismo: sexo, espetáculos, prazeres e dinheiro...

O possibilismo

A sociedade do espetáculo capitalista
Criou o possibilismo, que são as possibilidades
De fazer dinheiro com qualquer coisa,
Sem parâmetros de certo e errado,
Sem valores que possam atrapalhar,
Sem escrúpulo, sem nada, bestialidade total.

Na sociedade das possibilidades  
Tudo é permitido quando se trata de aparecer,
E fazer dinheiro:
Nu artístico de mãe e filho
É o cúmulo do possibilismo
Da exploração das possibilidades
De fazer dinheiro...

A sociedade do prazer e do entretenimento
 Aceita tudo,  e ainda justifica e dignifica
Com suas teorias de aceitação
Das fraquezas e bestialidade que deveriam ser combatidas
Para que houvesse a elevação da alma humana,
Que se perdeu inteiramente nas entregas
Do corpo aos desejos nos sentidos.

O diabo e o inferno eram feitos dos pecados e crimes
Que hoje desfrutamos sem culpas;
Dignificamos e santificamos o diabo e seus pecados,
Para que assim prevaleça o prazer como o único valor.

Os indivíduos possuídos pelos demônios
Desejam todas as aberrações sexuais da sociedade contemporânea;
Os demônios estão se descobrindo clichês diante das depravações
Que aceitamos, santificamos, justificamos e dignificações...
Com frases como está: “O que importa é o amor e a felicidade”  

Murilo Santiago
J.Nunez

A Cultura, aculturação e a imbecilização do mundo.

SOLDADOS DANÇANDOS MICHEL TELÓ, A IMBECILIZAÇÃO DO MUNDO.




Aculturação, Capitalismo e Globalização

O capitalismo e sua indústria da cultura comercial
Mais a globalização, o acesso a informação, o multiculturalismo
Criaram a aculturação pós-moderna;  sem violência,
Porém altamente perigosa para a cultura séria, objetiva, sólida, sadia
Produtiva para os homens em seus aspectos:  corpo, valores, espírito e mente.

A aculturação de nosso tempo é perigosíssima
Porque é a cultura de consumo, destrutiva e superficial. 
A aculturação pós-moderna
Transforma a cultura popular, a cultura regional
 Em produto e mercado consumidor.

A aculturação pós-moderna é imposta pelo poder econômico
De países que possuem uma forte indústria da cultura industrial.
A dança e a música da cultura industrial que é inteiramente
Conotação sexual espalha pelo mundo revelando
A mesma globalizada condição mental
De sexualidade em tudo na sociedade do prazer
Do consumo, da superficialidade imediatista e do entretenimento.
No capitalismo prevalece a cultura industrializada e de consumo,
Mesmo quando não destrói a cultura regional,
 Leva essa cultura a ser
Explorada como produto e mercado consumidor.
O que prevalece é a cultura global, comercial, industrial,
Imediatista, possibilista, inconseqüente,
Superficial, sexual, imbecil, destrutiva...

O produto cultural  brasileiro,  a estupidez nacional,
Não encontra mais barreira comercial
Com a globalização, a sexualização e a imbecilização do mundo.

Salomão Alcantra
J.Nunez


domingo, 1 de janeiro de 2012

País da ostentação espetácular em contraste com a miséria e bolsa assistencialismo

A Praia de Copacabana amanheceu com muito lixo. Na foto, um registro na altura do Copacabana Palace Foto: Hudson Pontes / Agência O Globo

Volume de lixo no réveillon no RJ sobe 6% e atinge 645 t

Ostentação Brasileira

Brasil país do espetáculo,
Do maior réveillon do mundo
Com suas queimas de fogos e ostentação
Que contrasta com as favelas,
Bolsa assistencialismo,
Miséria, fome, falta de educação e crises bárbaros.
Terra do prazer e do entretenimento,
Puteiro do mundo,
Colônia de exploração para Brasileiros
Que não assumem sua brasilidade,  
Colônia de exploração para mundo
Lugar onde o mundo descarrega sua moralidade frouxa
E sua sexualidade reprimida e reprovada
No maior espetáculo de sexo ao céu aberto.
País do futebol e seu patriotismo sem pátria
Educação e consciência política.
País do alcoolismo,
Da cultura industrial, comercial, bestial, sexual.

Albano Morais
J.Nunez

Postagem em destaque

Fique por perto!

Volte logo, Não demore muito, Fique por perto! Eu te esperarei dentro e fora do tempo. Sua alma é nobre, Fique no sangue do meu sangu...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA