Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Poesias Imparcialistas


Velhas cortinas do passado

O que sinto hoje são restos da tristeza de ontem,
São sentimentos mal curados...
A felicidade não fica em pedaços,
Não retorna porque ela é efêmera
E dissipa nos sorrisos desses momentos.

A tristeza é sempre mais consistente
E sempre volta nas lembranças
E nos sentimentos acordados
Por acontecimento inoportuno,
Por recordação de um fracasso, uma perda.

Não são os outros culpados
 Por essa dor que persiste,
Sou eu que não esqueço,
Sou eu que rumino as dores ruminas
E engolidas por muitas vezes, mas nunca digeridas...

O perdão não ao outro; O perdão a mim mesmo:
Aos fracassos que não pude evitar,
As perdas que não pude evitar,
As frustrações imposta por outros.

Tudo retorna em forma de solidão e tristeza...
Tudo vai embora quando esqueço,
E desperta feito um gigante adormecido,
Quando pisam forte no chão do meu orgulho.

 Compreendi que a vida
Não tem a seqüência lógica de um filme,
Compreendi que a vida segue por outros caminhos
Se eu deixo os velhos hábitos, os velhos medos,
Os ressentimentos e as ruminações do passado.
Sem as velhas cortinas amanheceu outro dia...

Francisco Medeiros
J.Nunez

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

O Imparcialismo: O Ciclo de Saturno

O Imparcialismo que começou a ser escrito em 2006 E  revelado em 2008. Foi à leitura do fim de um período, Iniciado pós-guerras, tempos...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA