Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

TCC: UM NOVO CONTEXTO PARA A LITERATURA CONTEMPORÂNEA - TRABALHO PÓS GRADUAÇÃO EM LETRAS - JOSÉ NUNES PEREIRA


UM NOVO CONTEXTO PARA A LITERATURA CONTEMPORÂNEA
                                                                                                José Nunes Pereira

RESUMO
Esse trabalho tem propósito de situar a literatura na pós-modernidade, revelar as possibilidades de construção artística e literária dentro desse contexto contemporâneo. Conseqüentemente elaborar o caminho da arte e da literatura; situada e consciente de seu tempo histórico, e engajada na leitura desse tempo que releva o homem a si mesmo e desmascara seu período histórico. Esse trabalho e esse objetivo são alcançados com os estudos da sociologia, que formulou a sociedade e o homem ao longo dos acontecimentos modernos e suposta pós-modernos. Dessas transformações sociais surgiram novas temáticas que se tornaram essências para a leitura do homem contemporâneo e seu tempo histórico.
Palavras Chave: Contexto Contemporâneo. Pós-Modernidade. Literatura. Arte 

Introdução
O tema desse trabalho é resultado de leitura e prática literárias que partiram da ideia de construção da literatura a arte para o contexto contemporâneo. Esse objetivo foi alcançado com as observações de nosso tempo histórico, do espaço virtual e de nosso espaço geográfico contextualizado com a Pós-Modernidade. As leituras e as observações da sociedade, do homem e das mídias, resultaram nesse artigo cientifico com o propósito ambicioso de revelar a possibilidade de construção da literatura que seja leitura do homem contemporâneo. Para transformar esse trabalho em artigo cientifico, e obter referências bibliográficas foi necessário recorrer aos sociólogos e seus estudos da sociedade Pós-Moderna.

 Desenvolvimento
A literatura de algum modo está ligada ao tempo de seu desenvolvimento, mesmo quando não há engajamento, ainda assim, a literatura é fruto de seu contexto. As criações artísticas, com seus movimentos artísticos, seus escritores e seus poetas relacionam de modo consciente ou inconsciente com seu tempo e espaço geográfico em que realizam a obra. É certo podemos, na era da informação,  considerar o espaço virtual . A cultura industrializada que atende a um determinado público, que é produto para consumo e possui prazo de validade, que é modismo e novidade quase sempre sexualizada pelas tendências dos modos e condutas contemporâneas. Mesmo essa cultura descartável está inserida dentro desse novo contexto, dentro desse tempo de comercialização de tudo e exploração de tudo que pode ser vendido; mesmo essa cultura industrializada participa do contexto contemporânea sendo conseqüência de seu tempo. A cultura comercial, em formato de produto, é analisada por Terry Eageton:

o pós-modernismo conta com várias fontes - o modernismo propriamente dito; o    chamado pós-industrialismo; a emergência de novas e vitais forças políticas; o recrudescimento da vanguarda cultural; a penetração da vida cultural pelo formato mercadoria; a diminuição de um espaço autônomo para a arte; esgotamento de certas ideologias burguesas clássicas, e assim por diante (op. cit., p. 29).

Essa relação do artista com seu tempo é que chamamos de contexto para a produção de uma obra artística e literária.  A obra de arte desempenha sua função quando ela recebe influencia de seu tempo, e realiza a leitura de sua época de modo objetivo e consciente; assim as realizações da literatura exerce a função nobre do engajamento nas realidades políticas, sociais, artísticas, religiosas, ideológicas. Michel Haar complementa essa breve introdução ao tema contexto artístico e literário:
 “[...] É preciso, em um segundo tempo, religar esta ressonância ‘imediata” da obra ao contexto artístico (e, sobretudo às correntes, às escolas) e também histórico e filosófico de sua época. A parte de história que temos que resgatar é para não termos aproximação demasiado ingênua das obras e entregarmo-nos à arbitrariedade de nossos juízos e emoções estéticas, é hoje sem dúvida considerável”. (HAAR, 2000, p.114)

O estudo da literatura e da arte necessita de distanciamento histórico para torne possível à pesquisa, a observação de seu envolvimento, seu contexto histórico e a relação da literatura e da arte com esse período de construção artística e literária. Esse estudo deixa evidente essa dependência, esse envolvimento, esse diálogo e essa leitura do tempo e espaço geográfico em que a obra artística se desenvolveu. Partindo dessas observações podemos sugestionar que há um novo contexto para a literatura contemporânea, essa afirmação é baseada nas afirmações de que estamos na pós-modernidade. Essa afirmação de que estamos em um novo período histórico trás a literatura e a arte uma nova probabilidade de criação artística e literária, que se engaje, documente, experimente e realize a leitura dessa pós-modernidade. Essa afirmação traz novas perspectivas e outras possibilidades para a arte e a literatura contemporânea, porque essa  afirmação sugestiona um novo contexto, um outro homem, uma outra sociedade com novos conflitos, nova maneira de viver, novos comportamentos, novos valores, novas questões socioeconômicas, novas questões socioculturais etc. Afirmar que estamos na pós-modernidade exige do pesquisador observação e análise de outro tempo, a modernidade:

Sejam bem-vindos ao pós-modernismo: ao mundo do espetáculo da mídia, do   sumiço da realidade, do fim da história, da morte do marxismo e de um grande número de outras alegações deste milênio [...]. A sociedade aproximou-se da beira do mundo agora nivelado, alegam os pós-modernistas, e a única coisa que conseguimos saber com certeza é que não podemos compreender o que nos levou para lá ou o que existe abaixo de nós, no abismo” (STABILE, 1999, p. 146).



A sociedade pós- moderna se difere da sociedade moderna quando observamos as conseqüências da modernidade causadas pelos descomedimentos, os extremos, a destruição, o nivelamento causado pela cultura comercial, a desvalorização ou valorização segundo ao que é conveniente; tudo é teorizado, questionado e destruído para saciar um tempo de teorizações de tudo, um tempo de consumismos, desenvolvimentos científicos, capitalismos, explorações dos recursos, entretenimento, prazeres, desenvolvimentos industriais, tecnológicos etc.
globalização, o multiculturalismo etc.
A simbologia de Zygmunt Bauman  que compara a sociedade ao líquido que se molda ao recipiente faz uma leitura dessa  sociedade que é flexível se molda ao seu tempo “A vida líquida é uma vida precária, vivida em condição de incertezas constante” ( BAUMAN 2005B, P.8)
A sociedade pós-moderna ou o fim da sociedade moderna proporciona ao artista, o poeta e escritor uma nova possibilidade literária, um novo contexto literário isso porque estamos de fato em outro tempo.  Em uma contemporaneidade realizada pelos efeitos e causas do modernismo.                                                                                                                               O estudo da pós-modernidade no livro "Modernidade Líquida" de Zygmunt Bauman é um dos pontos de partidas para a construção do novo contexto para a literatura contemporânea; uma literatura que se engaje na compreensão da pós-modernidade. Entre as leituras do contexto contemporâneo e as temáticas para essa arte e literatura contextualizada ao seu tempo podemos citar a sociedade dos prazeres, do entretenimento e suas fugas da vida moderna, opressiva e causadora das chamadas "doenças modernas". Essa leitura do pós-moderno de Zygmunt Bauman pode ser esse o ponto de partida:

“Comunidades de carnaval’ parece ser outro nome adequado para as comunidades em discussão. Tais comunidades, afinal, dão um alívio temporário às agonias de solitárias lutas cotidianas, à cansativa condição de indivíduos de jure persuadidos ou forçados a puxar a si mesmos pelos próprios cabelos. Comunidades explosivas são eventos que quebram a monotonia da solidão, cotidiana, e como todos os eventos de carnaval liberam a pressão e permitem que os foliões suportem melhor a rotina que devem retornar no momento em que a brincadeira terminar. E, como a filosofia, nas melancólicas meditações de Wittgenstein, ‘deixam tudo como estava’ (sem contar os feridos e as cicatrizes morais dos que escaparam ao destino de ‘baixas marginais’)” (BAUMAN, 2001, p. 229)

Nossos problemas, medos, alegrias e conflitos contemporâneos são frutos da sociedade do consumo, da sociedade do prazer e do entretenimento, da sociedade sexo fácil e cibernético, da sociedade de homens confusos, de homens desmotivados, de mulheres no poder, de mulheres emancipadas, de luta por aceitação, liberdade e inclusão, de mulheres sobrecarregadas, de mulheres libertas, tempo de doença moderna, de faltas de limite e perspectivas,  de loucura moderna etc.
Esse contexto contemporâneo se analisado com ambições de criações artísticas e literárias pode ser o formulador de novas temáticas para a arte e a literatura contemporânea. Uma produção literária e artística que seja a leitura do homem pós- moderno.                              Novas temáticas para a literatura contemporânea pode ser formulada a partir da sensibilidade, da intuição e da observação da realidade observada pelos poetas, escritores,  e artistas  assim realizar a leitura de seu tempo, espaço geográfico e de seu contexto. Vivemos na sociedade contemporâneas sobre a influência da globalização cultural e econômico, da diversidade, do multiculturalismo, do amor pós-moderno ou contemporâneo com sua sexualidade descompromissada, seu amor livre e sexual. Vivemos sobre a influência do ambientalismo, das conscientizações sociais e ambientais, das realidades sociais, dos engajamentos sociais, das inclusões e suas lutas por liberdades, das desvalorizações do homem, das condutas do homem contemporâneo, do consumismo, do ambientalismo, do sincretismo etc. Esse contexto contemporâneo é a matéria prima para a criação da literatura e da arte que seja a leitura desse novo contexto.                                               A literatura é a arte contemporânea podem se inspirar e se deixar influenciar pelas mais variadas áreas do conhecimento, justificando o conceito de multiculturalismo, interdisciplinaridade e globalização. Apesar de haver opiniões divergentes quanto à teoria de estarmos ou não no tempo pós-moderno; essa discussão não afeta a possibilidade de outro contexto para a literatura e uma possível leitura desse contexto contemporâneo.
 

Conclusão
A observação de que estamos em um novo tempo histórico, trás em si a possibilidade  de   leitura desse tempo histórico contemporâneo. A construção da literatura e da arte para o novo contexto parte do escritor, do poeta e do artista; esse artigo acadêmico busca mapear os caminhos possíveis para essa construção dessa arte e literatura engajada na leitura do homem e da sociedade de seu tempo. Essa literatura e essa arte contextualizada ao seu tempo são resultados das observações e interações conscientes ou inconscientes do produtor de obras artísticas e literárias com a sociedade em seu tempo e espaço.


REFERÊNCIAS:

A Produção Artística E A Proposta De Engajamento Sartreano: Reflexões Para A Contemporaneidade HAAR, Michel. A Obra de Arte - Ensaio sobre a ontologia das obras,  Tradução Maria Helena Kühner, Rio de Janeiro, RJ, DIFEL, 2000.   Disponível em: http://www.mundofilosofico.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=161:a-producao-artistica-e-a-proposta-de-engajamento-sartreano-reflexoes-para-a-contemporaneidade&catid=3:filosofia&Itemid=2  Acesso em 25 de set 2011

CONSIDERAÇÕES SOBRE MODERNIDADE, PÓS-MODERNIDADE E GLOBALIZAÇÃO NOS FUNDAMENTOS HISTÓRICOS DA EDUCAÇÃO NO CONTESTADO http://www.achegas.net/numero/quatorze/nilson_thome_14.htm    acesso em 27 set 2011

Luciano Vieira Francisco: A modernidade da fusão social pela solidificação individual: Modernidade Líquida, de Zygmunt Bauman http://www.klepsidra.net/klepsidra23/modernidade.htm acesso em 24 de set 2011

contato:
j.nunez@bol.com.br 

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Fique por perto!

Volte logo, Não demore muito, Fique por perto! Eu te esperarei dentro e fora do tempo. Sua alma é nobre, Fique no sangue do meu sangu...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA