Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Banheiro só para Gay - ARTIGO - A TORRE DE BABEL SEXUAL


A Torre de Babel Sexual

O mundo virou uma Torre de Babel sexual,
Tem que dá e come,
Gente que não dá e nem come,
Outros que só dá e não come,
Outro que só come,
Outros que transam com árvores
E qualquer outra coisa...

A sociedade não se entende mais...,
Dentro dessa Torre de Babel Sexual.
Chamam de inclusão o que é exclusão
De exclusão o que é inclusão,
De direito o que destrói o direito do outros...

Agora eu sei o porquê da hipocrisia!
A hipocrisia faz com que ignoremos a verdade individual
E fechemos os olhos para essas questões pessoais,
E a sociedade encontra a paz na guerra dos conflitos  de cada um.

Na pós-Modernidade criamos os mercados consumidores
E os públicos consumidores, estão descobrimos os direitos
 Individuais, as teorizações de tudo,  
As inclusões e a deformação de tudo..
Nós tornamos tão individualistas
Que perdemos a noção de sociedade e individuo,
Direitos e valores humanos.

Há!  Que saudade da boa e velha hipocrisia
Do tempo que fazíamos tudo... Discretos e elegantes,
Sem querer impor a concordância da sociedade,
Nem querer que seja olhado como atitude e conduta natural,
Amorosa, civil, digna e bonita!

Porque não voltamos àquela boa e velha hipocrisia!
E todo mundo faz o sexo que tem vontade de fazer
E sejamos discretos em nossas intimidades
Em nossas vontades e fraquezas,
 E sociedade estará em paz
 Com o sexo que cada um faz.

 Ninguém sabe mais o que é individuo, 
O que é direito e o que é sociedade;
Individuo e sociedade se tornou a mesma coisa!

Albano Morais
J.Nunez



Banheiro alternativo para alunos homossexuais.
Os alunos do colégio estadual Vicente Rijo, em Londrina, têm a opção de poder usar um banheiro alternativo para alunos homossexuais. A iniciativa começou há dois anos, mas o assunto só se tornou público nesta quarta-feira (8), primeiro dia de aula e passou a dividir opiniões na cidade.
(O G1 chegou a informar que o banheiro era de uso exclusivo dos alunos homossexuais. A informação foi corrigida às 17h58.)
A medida, segundo o diretor Donizetti Brandino, foi adotada porque, na época, dois alunos reclamaram de constrangimento no sanitário masculino e foi aprovada pelo Conselho Escolar. Depois deses casos, outras situações pontuais aconteceram e, desde então, o banheiro dos professores passou a ser utilizado como alternativa para os alunos.
Um estudante de 17 anos que não quis se identificar afirmou que aprova a medida. “Meninos ficam olhando com cara feia”, afirmou o jovem. Ele contou que em 2011 uma inspetora do colégio o flagrou dentro do banheiro feminino e o encaminhou para a direção do colégio. O rapaz disse também que foi pedido para que ele usasse o banheiro dos professores para evitar constrangimentos para as meninas.
Na avaliação dos professores e da direção da escola, a medida não é discriminatória e não visa isolar os homossexuais, mesmo assim, afirmam que não pretendem estimular que mais alunos utilizem os banheiros já denominados de alternativos. “O nosso objetivo é a educação. É conscientizar para que essas realidades possam ser trabalhadas de forma que todos tenham direitos”, declarou o diretor Donizetti Brandino.

A opinião, entretanto, não é compartilhada por Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (AGLBT). Segundo ele, ainda que tenha sido para beneficiar os homossexuais, a atitude representa uma solução simplista que não se aprofunda na questão do respeito.

“Nós queremos uma escola inclusiva que respeita a diversidade na biblioteca, na sala de aula e banheiros”, disse o presidente da AGLBT que também é doutor em educação. Toni Reis afirmou ainda que é preciso sensibilizar a comunidade escolar e capacitar os profissionais para que haja o entendimento de respeito a individualidade. “Não podemos fazer essa segregação”.

Flávio Arns, secretário estadual de Educação, disse desconhecer a existência banheiros alternativos para homossexuais nas escolas e vê com cautela a medida. “Consideramos completamente desnecessário. Não é importante, não é necessário. Nós temos, sim, criar na escola um clima de respeito à diversidade”, disse o secretário.

Ainda nesta quarta-feira, a AGLBT vai encaminhar um ofício para a Secretaria Estadual de Educação solicitando uma intervenção na escola londrinense. A ideia, de acordo com Reis, é suspender a medida e evitar que ela seja replicada em outras unidades de ensino. Caso o pedido não seja atendido, a Associação pretende recorrer ao Ministério Público (MP).

Banheiro só para Gays
SÃO PAULO - Duas semanas depois de o cartunista Laerte Coutinho, de 60 anos, que se veste de mulher, ter sido proibido de usar o banheiro feminino de uma padaria na zona oeste da capital, a Câmara Municipal recebeu nesta terça-feira, 7, projeto de lei que propõe a criação de banheiros unissex. A ideia é do vereador Carlos Apolinário (DEM) e destinada a gays, lésbicas, bissexuais, travestis, como o artista, e até a heterossexuais.
O objetivo do projeto, segundo o vereador, é evitar constrangimentos, assegurando que banheiros de homens sejam usados apenas por homens, assim como o de mulheres só recebam mulheres. Já o unissex funcionaria como uma terceira opção, sem regra de uso definida por sexo ou preferência sexual - a única exigência é que a utilização por crianças deverá ser acompanhada de responsáveis legais.
justificativa de seu projeto.
Integrante da bancada evangélica, é a segunda vez que o vereador leva a temática homossexual para a discussão legislativa. No ano passado, ele sugeriu a criação de uma data para comemorar o orgulho hétero. Agora, afirma que o projeto, se aprovado, ajudará a manter os "bons costumes" e a boa convivência entre as pessoas, independentemente de suas preferências sexuais.
"Se a moda pega, qualquer pessoa que se declarar homossexual, ou estiver vestido de mulher, poderá entrar no banheiro feminino, constrangendo senhoras, adolescentes e até crianças."
Apolinário afirma que o caso de Laerte não é o único. "Já recebi relatos de casos semelhantes na capital. Os gays no Brasil são muito folgados. Eles querem privilégios, e isso não pode acontecer. Como a sociedade caminha para essa abertura sexual, acho natural criarmos uma opção unissex. O que não é possível é minha mãe entrar em um banheiro e encontrar um homem vestido de mulher", completa.
Votação. A proposta, que seria válida para shoppings, supermercados, restaurantes, cinemas e demais locais de diversão, ainda deve passar pela Comissão de Justiça antes de ser colocada em pauta para votação. Depois, só se aprovada por duas vezes na Casa e sancionada pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) é que pode se transformar em lei municipal.
Polêmica em São Paulo, a ideia de se criar um banheiro exclusivo para gays já foi testada no Rio, e com críticas. No ano passado, ativistas da causa homossexual condenaram a escola de samba carioca Unidos da Tijuca, que inaugurou a opção em sua quadra. A luta de transexuais e travestis no País é pelo direito de usar banheiros femininos. Na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, ele está assegurado desde 2008.
Apolinário reconhece que deve enfrentar dificuldades em aprovar o projeto, mas assegura que lutará pela proposta.
http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,vereador-quer-criar-banheiro-para-gay-em-sao-paulo-apos-polemica-com-laerte,832738,0.htm

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

O Imparcialismo: O Ciclo de Saturno

O Imparcialismo que começou a ser escrito em 2006 E  revelado em 2008. Foi à leitura do fim de um período, Iniciado pós-guerras, tempos...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA