Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

sábado, 11 de dezembro de 2010

A poesia contemporânea e o contexto literário para essa poesia

Superficial, imediato e a flor da pele


Meu amor está à flor da pele,

Tão a flor da pele que acho que seja paixão a flor da pele.

Meus beijos são também, às vezes, a flor da pele.

Tudo em mim vive a flor da pele...

A raiva é à flor da pele,

A moral , a ética e o sexo são à flor da pele,

Tudo em mim é superficial... E a flor da pele.

Para me possuir basta me querer,

Meus critérios são meramente biológicos,

Feito fêmea de qualquer espécie em sua seleção sexual,

Basta me querer, não muito, não mais que uma vez e uma noite...

Contudo fica essa sensação que sou descartável,

E sou, e somos para uma noite de alguém,

Esse sentimento nasce de um pouquinho de dignidade humana

Que teima em ser à flor da pele...

A flor da pele porque sou humano,

A flor da pele porque sou homem contemporâneo...

De masculinidade duvidosa porque é à flor da pele.

Tudo é imediato, no limite, superficial e a flor da pele...

É assim que somos contemporâneos.

Abílio Santana

J.Nunez

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

As meninas que vendem sexo

Esse poema é fruto do artigo: Multiculturalismo e conceitos de salvação e verdades absolutas;

Assim como quase todos os Poemas Imparcialistas são frutos dos artigos imparcialistas

As meninas que vendem sexo

Na esquina as meninas que vendem sexo

Não se preocupam com a “vida fácil” que levam...

Será que é fácil mesmo...

Amanhecer esperando clientes

Que saem quase sempre muitos satisfeitos e mal agradecidos...

Há!... Mas elas também são filha de Deus...

E como filhas de Deus foram batizadas e fizeram primeira comunhão...

Umas foram casadas na igreja de Santa Conceição,

Outras já nasceram filhas de mães prostitutas...

E Deus, segundo as igrejas, é muito bom

E pode perdoar e salvar essas meninas perdidas na vida fácil que levam...

As meninas estão chegando para uma noite fria e sexo pago...,

As bondosas senhoras e senhoritas voltam das igrejas;

Descem mesma rua das meninas; a rua do terreiro da Quitéria.

As senhoras bondosas e as senhoritas de fachadas são santas,

E as meninas que fazem sexo pago são santas sem fachadas...

São tão perdidas, tão salvas quanto às senhoritas e senhoras

De pensamentos inconfessáveis....

Salomão Alcantra
J.Nunez

Multiculturalismo e conceitos de salvação e verdades absolutas...


O Cristianismo é ainda um instrumento de repressão cultural, em um tempo em que o mundo está a caminho de um multiculturalismo e uma globalização cultural. O cristianismo ainda é a verdade absoluta, o caminho único e a salvação da humanidade para os povos que o inventou e para os povos e religiosos que foram conquistados por essa idéia de salvação e superioridade cultural por ser esse cristianismo a verdade universal e absoluta.
Todas as atrocidades praticadas em nome dessa salvação e verdade absoluta se justifica com a própria idéia de salvação e verdade universal. Há muita sinceridade, muita ignorância, muito cinismo, muita hipocrisia, muita maldade, muita inocência, muita mentira elaborada por de trás dessa desse conceito de salvação e verdade absoluta.
A maldade, a hipocrisia e a mentira elaborada estão ao encargo de quem usou essa idéia de salvação e verdade absoluta como instrumento de conquistas e atrocidades contra outros povos, e fez ainda do cristianismo instrumento de conquista e justificativa de conquistas e selvagerias.
A inocência e a ignorância do cristianismo está mais viva que nunca, podemos observar essa ignorância em indivíduos que estão a margem de todas os direitos humanos e dos básicos de cidadão; pregarem essa verdade e essa salvação absoluta com uma arrogância que os fazem se sentirem os prediletos de Deus; estão podem rir debochadamente de todos que não foram tocados que essa verdade e salvação. Esses indivíduos são incapazes de uma visão panorâmica, uma visão por todos os lados, por todos os ângulos de todas as tocais, por todos os caminhos desses labirintos chamados conceitos; isso porque o cristianismo é uma idéia e uma linha de pensamento, e tudo deve ser encaixado dentro dessa linha de pensamento e não importa o quando é preciso de desculpas esfarrapadas e contorcionismo teórico.
É claro que o cristianismo não é o único a desrespeitar a cultura e a liberdade de expressão cultural, porém é o mais clássico dos desrespeitos a cultura e a liberdade de outros povos.
Essa idéia desavergonhada e arrogante de que o cristianismo é a salvação do mundo, fez do cristianismo uma ferramenta de extermínio de culturas e de povos.
É interessante observar que qualquer individuo desprovido de todos dos direitos básicos, qualquer individuo que vive de esmola, qualquer velhinha analfabeta propaga essa idéia de salvação e verdade absoluta com tanta convicção que é impossível qualquer diálogo. O cristianismo trouxe uma forma de auto-estima baseada na presunção e uma desculpa para todos os fracassados de todas as épocas.
O Multiculturalismo é possível, mesmo que parece que essa idéia liberdade cultural vai contra as convicções e auto-afirmações culturais. O multiculturalismo é possível quando ele é praticado como uma liberdade de expressão cultural e uma abertura ao conhecimento sem auto- afirmações presunçosas e a serviço de domínios culturais e territoriais.







quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Poesia esotérica imparcialista

O noivo


É sempre o coração!...

Senhor do desejo sincero,

E dos propósitos verdadeiros...

Coloquei minha razão

Neste caminho que escolhi

E livrei à alma

Por medo de ir fundo de mais.



A filosofia pede minha alma,

A arte quer mais que a razão,

Mas só tenho esse coração,

Para colocar nessa vereda de espinhos.



Se for para sangrar,

Que seja para eternidade da alma,

Se for para sofrer

Que seja para a liberdade do espírito.



Sou pássaro com muitos pares de asas,

Mas com um só coração,

Para voar rumo à verdade...

Sou o noivo de uma única dama,

E ela pede meu coração,

E ela quer minha alma...

31/12/07

José Nunes Pereira

J.Nunez

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Com Você eu Aprendi...

Com Você eu Aprendi...


Com você descobri muito mais de mim mesmo,

Com você eu aprendi não só a sorrir,

Mas também a chorar e sofrer por amor.

Com você aprendi que o sacrifício e a lágrima

Fortalecem a alma e madurecem o espírito.

Foi te conhecendo que descobri

O quanto você é melhor do que eu,

O quanto sou exigente com os outros

E o quanto eu cobro de mim mesmo.

Com você aprendi a esquecer o mal

Que outras pessoas me causaram

E a lembrar o bem que elas se dispuserem a fazer por mim.

Com você aprendi a dar um sorriso a quem precisa

E uma palavra de apoio e gratidão nos momentos difíceis.

Com você eu aprendi a pedir a Deus

Coragem nós momento que tive medo,

E agradecer a ele o fruto do meu trabalho.

Com você eu aprendi que os amigos torcem pelo nosso sucesso

E que aquele que chamamos de inimigo,

Cabe ele o papel de nos fazer melhores.

Com você eu aprendi a respeitar as opiniões contrarias,

Porque as nossas verdades são etapas do caminho.

Com você eu aprendi que o tempo, que nem se quer existe,

Escorre e apaga todas as nossas diferenças.

Com você aprendi que o que tenho chamado de minha cruz

E na verdade a vida sendo vivida com todo o seu realismo

Capaz de fazer nos melhores feito pedras polidas.

Com você eu aprendi que o reconhecer meus erros

É o caminho mais curto para a perfeição.

Com você eu aprendi que o Amor

É a única religião na qual todos nos pertencemos

E que morte que chega inevitavelmente,

É de fato a única idéia da qual ninguém discorda.

Com você eu aprendi que o perdão

É um bem que se faz a si mesmo e ao próximo.

Com você eu aprendi que o arrependimento

Vem de nossa alma que almeja a perfeição.

Com você eu aprendi que a vida são dois caminhos,

Um é o que eu mesmo faço,

O outro é aquele que a vida nos leva.

Com você aprendi que no homem e na mulher

A espaço mais que suficiente

Para o adulto e a para a criança em nós.

Com você eu aprendi a confessar meus erros,

A dizer que tenho medo e alcançar uma mão estendida.

Com você eu aprendi uma canção alegre,

Uma lição de vida, o peso das palavras

E uma historia para contar.



Francisco Medeiros

J.Nunez



A Poesia Imparcialista busca a função da palavra, a função da literatura, nesse ponto se difere totalmente do Parnasianismo que buscava a arte pela arte e do Modernismo que não considera poesia o texto que não valoriza a estética e a poética nas palavras, portanto não considera obra de arte a mensagem e a auto-ajuda etc. O Imparcialismo não afirma que esses textos sejam obra de arte, mas que a literatura Imparcialismo busca primeiramente a função da palavra.





segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Poesia de amor, recordação, perdão, reconciliação...

Se você não me olhasse assim


Sei bem que não é somente eu,

Que necessito do seu amor,

Sei que existe um outro alguém

Que sofre, chora, sonha com você.



Tá difícil convencer meu coração

De que todas as manhãs,

Nasce um novo dia;

Com outros caminhos pra seguir,

Outras portas vão se abrir,

Outros sonhos que serão

Novas recordações.



Seria fácil te esquecer,

Se você não me olhasse assim,

Não fizesse assim,

Do jeito que eu gosto.

JOSÉ NUNES PEREIRA
J.NUNEZ

Postagem em destaque

O Imparcialismo: O Ciclo de Saturno

O Imparcialismo que começou a ser escrito em 2006 E  revelado em 2008. Foi à leitura do fim de um período, Iniciado pós-guerras, tempos...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA