Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Antes de tudo, humano....

Qualquer pessoa, antes de qualquer estereótipo é um ser humano, e essa condição faz por si só qualquer pessoa de bem, digna de respeito, admiração e conscideração...
Antes que me digam que uma sociedade sem os estereótipos e os tipos populares é uma sociedade morta e sem graça; digo as razão pela qual o mulato e o negro não os aceita. Os estereótipos são colocados em um grupo social para divertir o grupo social que exerce o poder na sociedade, são colocados para delimitar e incapacitar um grupo socialmente inferiorizado, um exemplo: o índio é preguiçoso, o negro é vagabundo e o mulato é um pouco de cada coisa. Se os estereótipos existem, inevitavelmente, vá colocá-los em outro grupo social, porque o mulato é sabido de mais para aceitá-los. O negro inteligente não aceita ser chamado de negrão ou qualquer coisa que o delimita, porque esse negro inteligente sabe do peso histórico que por de trás dessa palavra e de outras que o caracteriza socialmente. A resposta para essa questão é uma frase feita: “chamar um branco de alemão não é preconceito, agora, chamar um negro e negrão é’. PORQUE É PRECONCEITO !?.... É preconceito porque na palavra negrão e em outras palavras que não é preciso pronunciar, estão carregada de estereótipos que foram construídos ao longo da história, e que o próprio negro aceitou por carência , necessidade e ilusão de ser aceito, e de certo modo apreciado. Os estereótipos possuem esse poder de iludir, de dar ao excluído um falsa ilusão de que ele é aceito e apreciado: um exemplo claro é o malandro e a mulata que ainda possuem essa ilusão de que são aceitos. Não é difícil observar que o malandro foi aceito até o momento que era conveniente e proveitoso aceita-lo como um produto da cultura popular, mas o que o grupo social a qual esse malandro pertence, ganhou com essa caricatura de si mesmo? Absolutamente nada, a não ser mais um estereotipo que os delimitam. Para que serve esse malandro hoje? Agora a mulata serve e muito! Basta que essa mulata continue com seu rebolado enlouquecedor que ela continuará servindo para alguma coisa. Um vez me disseram que as mulatas são mais quentes que as mulheres brancas, perguntei a esse individuo:_ Onde você imagina essa mulata trabalhando? Eu mesmo respondi:_ Certamente essa sua mulata idealizada sexualmente não trabalha como gerente do Banco do Brasil; certamente essa sua mulata idealizada e quente é uma prostituta de esquina...ou qualquer outra coisa que a exclui de participar dignamente da Sociedade, e aquela loira que não é muito quente ao seu modo de ver, onde você a imagina trabalhando? Certamente em algum lugar no mínimo digno!...Esse é o motivo pelo qual o negro não aceita os estereótipos. Quando chamamos um alemão de alemão estamos nos referindo apenas a sua características físicas, agora, quando chamamos um negro de negrão, ressuscitamos todos os estereótipos e preconceitos históricos que há por de trás dessa palavra. Basta lembrarmos os sinônimos associados a palavra negrão que foram construídos ao longo da historia.

J.Nunez
Movimento Literário Imparcialismo

quinta-feira, 24 de junho de 2010

A Sociedade do Prazer

A hipocrisia salva....

A nobreza de todas as formas de amar vem da personificação do desejo,
não podemos viver todas as sensações, sentimentos e pensamentos
Que habitam nossos cinco sentidos. Para não nos perdermos em um labirinto de desejos
insaciáveis e mantermos a lucidez, colocamos nossas sensações, pensamentos e
sentimentos obedientes as leis biológicas, condutas morais, comportamentos sociais,leis religiosas e espirituais. Essa lucidez e essas rédeas que colocamos nas sensaçõesnos pensamentos e nos sentimento é que nos permitiu manter um equilíbrio básico na sociedade.
Caminhamos para concretizar a sociedade do prazer, essa sociedade que
busca o eliminar o preconceito, e junto com ele eliminar os parâmetros e os limites entrecerto e errado, os direito a ter opiniões, e assim fazemos o caminho inverso:
Caminhamos para a despreconceitualização que é a ditadura do preconceito que elimina o direito a opinião.
Essa sociedade do prazer que solta às rédeas do desejo é a sociedade que caminha para o caos social e humano, estamos formando uma nova Sodoma e Gomorra. O caminho que nos salva e sempre nos salvou foi o da hipocrisia que conserva nossas sujeiras humanas em um lugar reservado a elas; se deixamos aflorar dotas as nossas sujeiras internas e eliminar as rédeas e a hipocrisia estaremos levando a humanidade inteira para as baixezas humanas, e nos igualaremos por baixo, já colocamos o puteiro dentro de nossas lares, quando permitimos garotas de fio dental rebolando em nossa sala de estar onde aos domingos estão nossos pais, nossos avôs, nossa esposa e nossos filhos
que devem ser educados para que se tornem homens capazes de guiar a si mesmo e a sociedade, capazes de formar família e respeitá-la, capazes de guiar e servir a
sociedade.
O sexo sem rédeas entorpece a sociedade, a necessidade de equilíbrio e a capacidade de se guiar sem se perder dentro dos labirintos do desejo faz com que personificamos o amor e o desejo em um único corpo, essa fato mostra que subconcientemente sabemos
que o desejo sem rédeas e a sociedade do prazer está nos levando ao caos social e humano. Somos uma sociedade viciada em sexo.
Temos lugares para nossos lixos, nossos esgotos e nossos expurgos; estão porque não conservamos a hipocrisia que é o nosso lixo interior, onde colocamos todas as nossas sujeiras que desobedecem as leis que equilibram a sociedade, o humano e a alma.

Murilo Santiago
J.Nunez

O IMPARCIALISMO

Forja de Provação (espiritualista)

Se o amanhã pertence a Deus,
hoje quero viver segundo a sua lei,
e sob luz dos mandamentos seus,
sou perseverante, e nada temerei.

Por caminhos de pedras andarei,
poderá até me faltar a sua luz,
porém, jamais deixarei
de caminhar rumo a sua cruz.

Ando pelo deserto da alma
Sou forjado no fogo da provação
Perdi a paz, perdi a calma.

Senhor, estendestes-me a sua mão,
colocaste-me outra vez de pé,
estou forte, e novamente tenho fé.

13 out 05
Francisco Medeiros
J.Nunez

O Imparcialismo é um movimento literário que busca a poesia para o novo contexto, a poesia que faça uma leitura do homem contemporâneo, com seus medos, suas aflições, suas duvídas, sua fraquezas, seus sofrimentos, seu comportamento diante a vida etc.
Essa é a poesia para a Ara da Informação, para a mulher emancipada e para o homem desmotivado e desorientado.
O Imparcialismo é escrito por catorse poetas ou pseudônimos de J.Nunez

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Copa do Mundo e Patriotismo Brasileiro...

O patriotismo brasileiro e a consciência de que somos uma nação fica muito mais evidente nas copas do mundo, esse patriotismo e essa consciência de brasilidade deveria continuar depois da copa. Esse patriotismo não deveria estar associado somente ao futebol. A consciência de Brasilidade deveria estar relacionada à nossa consciência política, a nossa formação histórica e nossa condição humana e a nossa consciência de um povo. O que mudará depois da copa ou depois que seu time for campeão? Nada! Não é um mal que sejamos patriotas, ou tenhamos consciência de que somos uma nação apenas nas copas do mundo, o mal é que não somos ou não temos consciência política e de unidade quando estamos fora desses eventos esportivos. Somos um povo olhando para uma África no coração e na alma, Somos um povo olhando para uma Ásia no coração e na alma, Somos um povo olhando para uma Europa no coração e na alma,
E o nosso índio no coração e na alma?
Somos ainda colonizados e colonizadores de nós mesmos.
Somos ainda o europeu e o asiático que veio para ganhar dinheiro, somos os africanos trazidos a força, e o nosso índio? O nosso índio é o dono da terra é o brasileiro mais brasileiro sem precisar de consciência de brasilidade, os índios são naturalmente dessa terra e não precisa de consciência de Brasilidade.
A copa do mundo é uma festa brasileira, nas festas temos a ilusão de que somos unidos em um único grupo social, depois que acabar a festa, vamos um para cada lado e perderemos essa ilusão de brasilidade e falsa consciência de nação. Esse patriotismos deveria estar associado a consciência política, a formação cultural, a preservação cultural associada ao desenvolvimento cientifico e tecnológico, esse patriotismo deveria estar associado ao voto que decide o futuro um pais, a consciência de unidade lingüística e territorial, a consciência de multiculturalismo dentro de um grupo, esse patriotismo deveria estar associado a nossa educação e os nossos direitos e deveres de cidadão.
É incrível que morremos de parada cardíaca na copa do mundo, não somos capazes decorrer do coração com tanto roubo em Brasília e tanta diferença social e descanso com a educação e a saúde.
Nessa copa do mundo esquecemos os padres pedófilos, as catástrofes ambientais, o aquecimento global, a política brasileira, a criança embaixo da ponte e educação a beira do abismo, os doentes nos corredores de hospitais...etc.Isso é a desinformação da informação, é o descanso em nome do prazer e do capitalismo.
Olhamos para o nosso próprio umbigo, pintamos e vestimos para a copa do mundo cachorros que detestam bomba, se esses cachorros pintados e vestidos tivessem consciência de copa do mundo torceriam contra o Brasil para que não sofram com bombas rojões.

J.Nunez

segunda-feira, 21 de junho de 2010

De tão miseráveis, não somos nem se quer excluídos.

Acima ou abaixo da linha do equador,
Certamente abaixo da linha da miséria,
Não somos os esquecidos,
Somos os que nunca foram lembrados,
Aqueles em que o grito nem se quer é sufocado,
Porque não temos força para um grito.
Aqueles que nem se quer são explorado,
Porque não temos nada para ser tomado,
Somos esses da miséria inútil.
De tão miseráveis, não somos nem se quer excluídos.
Nosso gemido de dor é abafado,
Por nossa própria fraqueza.
Não incomodamos ninguém
Porque nem se quer existimos
O suficiente para incomodar.
Não temos o luxo de ser classificados
Em qualquer classe social,
Somos aqueles sem estatísticas,
Somos aqueles que nem se quer são desprezados;
Para que fossemos desprezados
Seria preciso antes que fossemos vistos.
Não somos aqueles que é ignorado,
Não nos olham com indiferença,
Simplesmente não somos nem se quer olhados.
Não somos o Jeca Tatu de Monteiro Lobato,
Porque esse é ao menos um classificado,
Somos esses incapazes de explicar a própria dor,
Somos esses que nem se quer foi abandonado a própria sorte,
Porque não temos nem a sorte nem o azar.
Se existimos, se é que existimos,
Não incomodamos o suficiente para sermos vistos,
Não temos voz, não temos grito, não temos lágrimas,
Em nós tudo é tão seco como esse chão.
Não temos o horizonte dos homens que sonham,
Não temos o pesadelo dos homens que sonham,
Somos apenas corpos plantados,
E a nossa dor não tem gemido,
Então olhe nos meus olhos,
Então olhe no meu rosto desfigurado de sofrimentos.
O que se vê em meu corpo não são marcas do tempo,
Porque nem se que somos estagnados,
Estamos muito abaixo disso...
Não nos negaram nada, não nos ofereceram nada,
Porque ainda nem se quer fomos vistos.
Não nos perguntaram nada, porque não temos voz.
Não nos reprimiram de nada, porque nosso grito já é silenciado
Por nossa fome e nossa fraqueza.
Meu Deus, meus Deus
Se tu és o pai de todo homem
Porque nos colocou aqui.
Senhor, não sei dos vossos mistérios...
Homens, não sei nada das vossas maldades.

Octávio Guerra
J.Nunez

domingo, 20 de junho de 2010

Lixo Importado

http://matizesdoamor.blogspot.com/

1)Lixo europeu para nós
2)Descendentes dos excluídos lá,
3)Para nós filhos áfrica,
4)Para nós os latinos,
5)Para nós os selvagens,
6)Filhos de padres tarados,
7)Filhos bastardos de senhores de engenho,
8)Para nós os mestiços,
9)Para nós sem lugar,
10)Para nós sem origem,
11)Para nós os filhos da puta,
12)Para nós expurgo social,
13)Para nós os filhos
14)Da ganância, da expansão marítima...
15)Para nós os filhos
16)Da guerra que fazemos,
17)Para nós os filhos
18)Do preconceito, do medo...
19)Para nós os filhos
20)De uma causa perdida,
21)Filhos da presunção cristãos,
22)Filhos do estupro cultural,
23)Filhos da liberdade forçada
24)Por eles os europeus,
25)Filhos das segundas intenções
26)E de mentira histórica.

27)Nós somos um povo que está começando a existir com tal.(Livre)

28)Eu pergunto a você,
29)Porque não nos respeitam...,
30)Será que nós ainda
31)Agimos feitos europeus colonos,
32)Será que nós não
33)Assumimos nossa pátria Brasil,
34)Será que nós não percebemos...
35)Somos povo formado por:
36)Asiático fugido da guerra,
37)Europeus fugindo da fome,
38)Judeus, cristãos novos, hereges
39)Fugindo da inquisição católica.
40)Não damos conta ainda
41)Que somos a África,
42)Que somos a Europa,
43)Que somos os Índios,
44)Somos dono da terra,
45)Somos patria do mundo.
46)É assim que somos
47)Um povo que nasceu
48)No berço da humanidade.
49)Um povo que mostra
50)Que raça não existe.
51)O que sempre existiu
52)Foi maldade no coração
53)E dela fomos vítima.

Octávio Guerra
J.Nunez

Postagem em destaque

O Imparcialismo: O Ciclo de Saturno

O Imparcialismo que começou a ser escrito em 2006 E  revelado em 2008. Foi à leitura do fim de um período, Iniciado pós-guerras, tempos...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA