Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

A função da palavra na literatura imparcialista

A poesia imparcialista as vezes é uma mãe carinhosa que acalenta nossos sonhos mais doces outras vezes é um pai bêbado e violento que nos acorda na porrada...Assim também é a vida e a realidade...


A Poesia Imparcialista busca a função da palavra, a função da literatura, nesse ponto se difere totalmente do Parnasianismo que buscava a arte pela arte e do Modernismo que não considera poesia o texto que não valoriza a estética e a poética nas palavras, portanto não considera obra de arte a mensagem e a literatura de auto-ajuda etc. O Imparcialismo não afirma que esses textos sejam obra de arte, mas que a literatura Imparcialismo busca primeiramente a função da palavra.
O Imparcialismo busca a arte e literatura com função e utilidade, e não a arte pela arte e a estética pela estética. Essa função da pallavra na literatura imparcialista está em função do homem e da sua expressão e leitura dentro da sociedade comtemporânea.
O poema escrito abaixo é um exemplo dessa função da palavra na literatura imparcialista


Com Você eu Aprendi...

Com você descobri muito mais de mim mesmo,
Com você eu aprendi não só a sorrir,
Mas também a chorar e sofrer por amor.
Com você aprendi que o sacrifício e a lágrima
Fortalecem a alma e madurecem o espírito.
Foi te conhecendo que descobri
O quanto você é melhor do que eu,
O quanto sou exigente com os outros
E o quanto eu cobro de mim mesmo.
Com você aprendi a esquecer o mal
Que outras pessoas me causaram
E a lembrar o bem que elas se dispuserem a fazer por mim.
Com você aprendi a dar um sorriso a quem precisa
E uma palavra de apoio e gratidão nos momentos difíceis.
Com você eu aprendi a pedir a Deus
Coragem nós momento que tive medo,
E agradecer a ele o fruto do meu trabalho.
Com você eu aprendi que os amigos torcem pelo nosso sucesso
E que aquele que chamamos de inimigo,
Cabe ele o papel de nos fazer melhores.
Com você eu aprendi a respeitar as opiniões contrarias,
Porque as nossas verdades são etapas do caminho.
Com você eu aprendi que o tempo, que nem se quer existe,
Escorre e apaga todas as nossas diferenças.
Com você aprendi que o que tenho chamado de minha cruz
E na verdade a vida sendo vivida com todo o seu realismo
Capaz de fazer nos melhores feito pedras polidas.
Com você eu aprendi que o reconhecer meus erros
É o caminho mais curto para a perfeição.
Com você eu aprendi que o Amor
É a única religião na qual todos nos pertencemos
E que morte que chega inevitavelmente,
É de fato a única idéia da qual ninguém discorda.
Com você eu aprendi que o perdão
É um bem que se faz a si mesmo e ao próximo.
Com você eu aprendi que o arrependimento
Vem de nossa alma que almeja a perfeição.
Com você eu aprendi que a vida são dois caminhos,
Um é o que eu mesmo faço,
O outro é aquele que a vida nos leva.
Com você aprendi que no homem e na mulher
A espaço mais que suficiente
Para o adulto e a para a criança em nós.
Com você eu aprendi a confessar meus erros,
A dizer que tenho medo, e alcançar uma mão estendida.
Com você eu aprendi uma canção alegre,
Uma lição de vida, o peso das palavras
E uma historia para contar.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Fique por perto!

Volte logo, Não demore muito, Fique por perto! Eu te esperarei dentro e fora do tempo. Sua alma é nobre, Fique no sangue do meu sangu...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA