Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

terça-feira, 15 de junho de 2010

A Descaracterização do homem moderno

COM BASE NO POEMA A SINA DAS AMANTES


A poesia do Poeta Imparcialista Hermínio Vasconcelos busca realizar uma análise psicológica desse homem contemporâneo com o mesmo comportamento dos homens de outros tempos antes da industrialização é dos avanços tecnológicos.
A mulher em seu poema é a mesma, sendo mulher para se casar e ter filhos ou sendo mulher que realiza os caprichos sexuais desse homem, que nesse aspecto sexual tem se mostrados atemporal.
A mulher ainda é a mesma mulher, presa a sua própria condição biológica e psicológica, presa à própria condição humana, a própria necessidade de ter filhos, marido, amigos e parentes.
A esposa desse poema não representa muito o nosso tempo, mas sim o desejo e a conduta apropriada a nossa condição biológica, espiritual e psicológica.
Essa esposa é muito bem definida, ela não é uma descaracterização da idéia que formamos sobre a mulher. Descaracterização que se dá através de conceitos que buscam justificar as condutas humanas e visam dignificar todo e qualquer comportamento humano. Esses conceitos de descaracterização rouba do ser humano o seu parâmetro do que é certo e errado. Ao descaracterizarmos homens e mulher, tanto a eles a liberdade de possuírem as características que sua psique manda, estamos indo contra as leis biológicas que determina as funções e o sexo de individuo. A descaracterização do ser humano tem a função de justificar as nossas mais degeneradas condutas. A descaracterização é na verdade a nossa incapacidade de nos aceitarmos como somos. A descaracterização busca esclarecer as nossas condutas, mas na verdade ela acaba por confundir ainda mais. Através da descaracterização tentemos formatar um homem e uma mulher que é o que sua psique manda que seja. Seria muito mais simples se ao invés de buscarmos justificativas com os mais absurdos malabarismos teóricos, aceitar e compreendermos que somos desse ou daquela maneira por algum motivo psicológico, biológico e espiritual. Não podemos roubar de nos mesmos a noção de certo e errado. É muito comum alguém dizer: quem determinou que isso é certo e aqui é errado. Ora existem leis para tudo, se não houvesse a vida seria impossível, ora até o universo obedece a lei. Não se observa planetas fazendo a órbita que bem entender, não se observa os rios correndo para cima, não é natural que não anoiteça etc, etc, etc
Não é diferente com os homem, nós somos regidos por lei seja ela biológicas seja elas universais. São as leis que nos estrutura como seres humanos pertencentes a esse ou aquele sexo. Um individuo pode sim tornar se algo que se parece biologicamente com um homem e psicologicamente com um animal, mas isso é resultado de esse indivíduos desconhecer as verdadeiras lei que o regem biologicamente e psicologicamente e se descaracteriza com essa desobediência causada pelo fato de ignorar sua própria condição de homem. Se um individuo do sexo masculino tentasse engravidar eles estaria desobedecendo as leis biológicas que deu a elas as características de homem. Resulta que é muito mais simples aceitarmos nossa condição biológica e psicológica que tentar explicar nossos comportamentos com teorias que desconfiguram a própria existência.
Não dá para negar que tudo obedece a uma estrutura é as estruturas obedecem às leis, e tudo que não esta estruturado não dá para ser identificado, imagine um automóvel desmontado, não podemos dizer que é um carro porque ele não está estruturado com um carro, do mesmo modo não podemos descaracterizar o ser humano, porque perderemos nossa própria identidade com tal.

J.Nunez
O imparcialismo


A Sina das Amantes

Agora você vai se lembrar de mim só no próximo ano,
Depois do natal e do ano novo,
É mais provável que se lembrará de mim no carnaval.
Enquanto vai tudo bem, você não se lembra de mim,
Sou seus momentos de descontração,
Sua válvula para não explodir, sou o seu lazer garantido,
O seu prazer que tem um preço,
Sou um produto com prazo de validade,
Um objeto que pode ser trocado,
Sou apenas um erro, uma grande besteira em sua vida,
Sou um lugar onde você pode ou não voltar amanhã.
Sou a única vítima nessa historia a três.
Se ela te perdoar, você vai jurar que nunca mais vai errar,
Estão me serei a única que não presta dessa historia.
Ontem à noite você não veio, apenas disse que não viria,
Eu sei, é aniversario do seu filho, é uma festa de família.
Na outra semana, na quarta feira, você também não virá,
É aniversario de seu casamento.
Outro dia qualquer haverá uma cerimônia para os amigos,
Estão você levará ela que é a mãe de seu filho
O seu orgulho em forma de mulher.
Eu estou aqui esperando você contar mais uma mentira a ela,
Que é seu porto seguro, sua moral e sua decência...
Foi ilusão pensar que eu sendo a amante
Ficava apenas com o lado bom do amor.
O que sobra para mim é ouvir os seus lamentos,
Os seus fracassos e esperar, esperar, esperar...
Sem saber exatamente o que estou esperando.
No fundo eu espero que você abandone sua família
E me tire dessas noites de solidão,
Dessa solidão de parentes, desse desamparo de amigos,
Desse desejo de ter um filho,
Dessa decadência de concubina.
Tudo era tão leve, até que apareceu o peso do tempo.
A mesma historia se repede um milhão de vezes,
E não aprendo que homens não abandonam seu lar,
E que eu sou apenas seu instinto primitiva de macho,
A suas fantasias de sexo e indecências...
Certamente quando ela descobrir,
Você vai dizer que não significou nada para você,
Mas a verdade é que sou muito mais você do que pensa,
Sou sua imoralidade, sua sujeira, sua conduta indecente ,
Sua luxúria, sua fraqueza de homem,
Seus fetiches e sua face oculta.
Olha para fora enquanto te espero,
Observo que o outono está chegando,
Você diria que é só mais um outono,
Eu digo que é mais um outono em nossas vidas,
E dessa vez ele trouxe a calma
Aos seus instintos de homem maduro,
Dessa vez ele vem disser que tudo
Foi ilusão de juventude e fúria de viver uma paixão.
O que resta para mim é o papel de Madalena,
Que deve ser apedrejada...
O que ela é, se não uma mulher fora de seu tempo,
Submissa, dependente e dedica, e com todas as virtudes cristã
Do Perdão, do sacrifício e amor.
Ela é no fundo o que todo homem deseja para ser a mãe de seus filhos.
Eu sou a devassa, a prostituta em fim de carreira,
A Madalena que deve ser apedrejada...
Você é simplesmente homem maduro que deixou as ilusões.
E no fim prevalecerá o amor e as virtudes cristã
E não o sexo e a paixão de todos os cantos escuros,
De todas as portas trancadas, de todos os quartos secretos,
De todas as escadas onde sobem bêbados e vagabundas,
De todas as ruas que eu desconhecia,
De todos as formas de mentiras...
E o que eu chamava de amor é apenas o lado depravado
De um bom homem de família.
Certamente se eu me matasse nessa noite,
Você não iria ao meu enterro amanhã
Para não ser descoberto.
No outro dia deu no jornal.
E eu não o vejo no velório dessa mulher
Com que eu também bebi, e caminhei pelas
Dentro nessas noites secretas para os hipócritas.

HERMINIO VASCONCELOS
J.Nunez
O IMPARCIALISMO

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Fique por perto!

Volte logo, Não demore muito, Fique por perto! Eu te esperarei dentro e fora do tempo. Sua alma é nobre, Fique no sangue do meu sangu...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA